sábado, 21 de julho de 2012

Pastor chama “oração do pecador” de supersticiosa e divide opiniões

Pregação de pastor batista gerou debates acirrados na internet 

Um vídeo de três minutos que foi compartilhado milhares de vezes entre a comunidade evangélica nos últimos meses continua rendendo críticas ao seu autor. Tudo porque o pastor David Platt chamou de “supersticiosa” e ‘antibíblica’ a conhecida “oração do pecador”, onde a pessoa que deseja iniciar sua vida cristã é levada a repetir uma série de frases que lhe garantiria a salvação eterna.
Ensinada em igrejas de todo o mundo, a prática, de fato, não possui um respaldo bíblico. Platt, 33 anos de idade, lidera uma igreja batista em Birmingham, Alabama. No início deste ano, ele disse aos participantes da Conferência Verge, no Texas, que “não existe tal oração supersticiosa no Novo Testamento”, referindo-se à prática de fazer as pessoas “aceitarem Jesus” após repetirem uma oração feita por um pastor ou alguém que lhes pregou o evangelho.
“Estou convencido de que muitas pessoas em nossas igrejas estão simplesmente perdendo o sentido da vida cristã e que muito disso tem a ver com o que nós lhes vendemos como o Evangelho. Ou seja, esta oração, “aceite Jesus em seu coração, convide Cristo em sua vida está construída sobre areia movediça e corre o risco de desiludir milhões de almas”, disse ele.
Alguns meses depois, ele ainda continua se defendendo das acusações de evangélicos e líderes que contestam essa afirmação, inclusive lideranças da Convenção Batista do Sul, a qual ele pertence.
Enquanto alguns, segundo ele, o criticam por estar tentando impor o Calvinismo sobre os batistas, outros aplaudiram sua preocupação que a igreja entenda que discipulado é uma questão mais profunda, muitas vezes trocada pela repetição de uma oração e a frequência aos cultos de uma igreja.
“Meus comentários sobre a ‘oração do pecador’ foram motivados por uma grande preocupação com a conversão autêntica e a regeneração dos membros da igreja”, continuou Platt.
Danny Akin, presidente do Seminário Teológico Batista do Sul dos Estados Unidos, defendeu a posição de David Platt. Embora acredite que Platt poderia ter escolhido melhor as palavras antes de chamar de “superstição” algo tão popular, Akin disse compartilhar da preocupação do jovem pastor com as apresentações simplórias do evangelho e falsas conversões.
Mas ele esclareceu que não é contra a “oração do pecador”. “Eu quero que todos saibam que fiz todos os meus filhos repetirem a ‘oração do pecador’ como uma forma de expressar a obra que Deus fez em seus corações e de como eles se arrependeram de seus pecados e passaram a confiar em Cristo como seu salvador”, reiterou Akin ao explicar que a oração pode funcionar como a marca de um começo na vida cristã, mas nunca como a única coisa necessária para a salvação.
O debate sobre a eficácia da “oração do pecador” chegou até a liderança dos Batistas do Sul, que acabaram emitindo uma nota oficial com sua resolução este mês, afirmando que essa oração é “uma expressão bíblica do arrependimento e da fé”.
Platt curiosamente havia lançado em 2010 um livro que levava o título de “Radical: Separando sua fé do sonho americano”, onde chamava a igreja americana para pensar seu chamado missionário e fugir das promessas fáceis da chamada teologia da prosperidade. O livro, que já vendeu mais de um milhão de cópias, voltou a ser procurado graças a toda essa controvérsia.

Transcrição do vídeo:
Fazer discípulos é o transbordamento natural, ou melhor, sobrenatural de ser um discípulo.
Proclamar o amor de Cristo é o transbordamento da nossa participação na vida de Cristo.
Eu estou convencido que muitas pessoas em nossas igrejas estão simplesmente perdendo essa vida em Cristo.
E muito disso tem a ver com o que temos vendido como o evangelho, ou seja, “ore esta oração”, “aceite Jesus em seu coração”, “convide Cristo em sua vida”.
Não deveria nos preocupar o fato de que essa oração supersticiosa não existe no Novo Testamento?
Não deveria nos preocupar sabermos que a Bíblia nunca usa as frases “aceite Jesus em seu coração” ou “convide Cristo em sua vida”… ?
Isso não é o evangelho sendo pregado… é o evangelismo moderno construído sobre uma areia movediça e ele corre o risco de desiludir milhões de almas.
Isso é algo muito perigoso… Deixar essas pessoas pensarem que são cristãos quando elas ainda não deram uma resposta bíblica ao evangelho.
Se não formos cuidadosos, iremos retirar do evangelho, o sangue vital do cristianismo e colocaremos ki-suco de uva em seu lugar para que tenha um “gosto” melhor para as multidões não é apenas perigoso, é algo que trará condenação.
Então, quando eles pensarem em fazer discípulos, pensarão que basta sair e pedir que as pessoas apenas repitam essa oração.
Vamos mostrar isso… Vamos dar a eles o evangelho completo, vamos mostras às pessoas a grandeza de Deus.
Sim, Ele é um Pai que nos ama. É um Pai amoroso que nos salvará, mas Ele também é um justo juiz que poderá nos condenar.
Fazer discípulos é o transbordamento natural, ou melhor, sobrenatural de ser um discípulo.
Proclamar o amor de Cristo é o transbordamento da nossa participação na vida de Cristo.
Eu estou convencido que muitas pessoas em nossas igrejas estão simplesmente perdendo essa vida em Cristo.
E muito disso tem a ver com o que temos vendido como o evangelho, ou seja, “ore esta oração”, “aceite Jesus em seu coração”, “convide Cristo em sua vida”.
Não deveria nos preocupar o fato de que essa oração supersticiosa não existe no Novo Testamento?
Não deveria nos preocupar sabermos que a Bíblia nunca usa as frases “aceite Jesus em seu coração” ou “convide Cristo em sua vida”… ?
Isso não é o evangelho sendo pregado… é o evangelismo moderno construído sobre uma areia movediça e ele corre o risco de desiludir milhões de almas.
Isso é algo muito perigoso… Deixar essas pessoas pensarem que são cristãos quando elas ainda não deram uma resposta bíblica ao evangelho.
Se não formos cuidadosos, iremos retirar do evangelho, o sangue vital do cristianismo e colocaremos ki-suco de uva em seu lugar para que tenha um “gosto” melhor para as multidões não é apenas perigoso, é algo que trará condenação.
Então, quando eles pensarem em fazer discípulos, pensarão que basta sair e pedir que as pessoas apenas repitam essa oração.
Vamos mostrar isso… Vamos dar a eles o evangelho completo, vamos mostras às pessoas a grandeza de Deus.
Sim, Ele é um Pai que nos ama. É um Pai amoroso que nos salvará, mas Ele também é um justo juiz que poderá nos condenar.