Leia na íntegra o desabafo da psicóloga e não deixe de registrar o seu comentário no Verdade Gospel:
Ao me deparar com essa notícia hoje pela manhã uma mistura de raiva, indignação tocou meu coração, um sentimento de impotência, uma vontade de pedir “Jesus volte logo”. E na mesma hora me veio uma palavra em mente:
Abre a tua boca a favor do mudo, pelo direito de todos os que se acham em desolação. (Provérbios 31.8)
Minha Fé e minha indignação também cresceram minha pergunta então foi: Onde querem chegar esses detentores da Lei? Aonde quer chegar à mídia? Onde querem chegar esses grupos que afrontam a sociedade com valores totalmente distorcidos e aonde quer chegar tão sonhada psicologia que surgiu para aliviar conflitos psíquicos e está gerando muito mais confusões nas mentes da nossa sociedade quando se torna conivente e apoia qualquer tipo de ligação supostamente afetiva para o bem estar do “ser” que, em prol de direitos de satisfação pessoal, sexuais se perde em seus valores gerando conflitos ainda maiores.
Liguei para Prefeitura de Tupã, para o fórum, e os comentários são: “Eles moram juntos e vieram legalizar a situação do patrimônio e filhos, não é união instável, mas, as consequências fatalmente serão”, disse a funcionária. Perguntei como a população está vendo este caso, a funcionaria que pediu para não ser identificada disse: “fico imaginando os filhos desse trio, como se sente”. mas hoje é tudo assim, temos até medo de falar.”.
Como membro da sociedade estou chocada, como profissional e militante e pregadora da palavra de Deus quero dar minha contribuição e fazer um alerta.
Martin Luther King disse que lhe incomodava mais o silêncio dos bons que os gritos dos maus. A omissão no governo em nossas profissões é o que faz tais conceitos prosperarem.
Quando a psicologia que é a principal mentora desses que eu chamo de “delírios” com discurso falacioso, apenas individualiza a questão afetiva esquecendo-se do ser social, ou seja, que vivemos em uma sociedade de direito e deveres e que, esses direitos só são legítimos quando se leva em conta os deveres e direitos do outro realmente remeto meus pensamentos em “Sodoma” e “Gomorra”.
Quando colocamos questão dos desejos apenas de forma individual não contribuímos em nada e de forma “doentia” destruímos a sociedade a convivência que já está se tornando um caos. Refiro-me a psicologia, pois deve ser de conhecimento de todos que a mesma está sempre militando nessas causas, como por exemplo, expõe publicamente ser a favor de legalização de drogas, aborto, e da expressão da sexualidade humana seja como e bem entender e desejar este ser. A psicologia americana está tomada por militantes contrários a família tradicional e é ela mundialmente que dá respaldo a esses fundamentos desrespeitando ameaçando a todos que se opõem a eles deturpando em suas reuniões de meia dúzia, conceitos, preceitos, manipulando escritos, falas e por força da legalidade que se encontra como instituição como “ciência” vai usando esse poder para enfiar literalmente goela abaixo da população conceitos inventados a partir de desejos apenas.
Aqui em nosso Brasil a psicologia brasileira adotou o mesmo modelo americano está sendo fiel escudeira, querem mudar o mundo, ou melhor, voltar aos velhos tempos da era Greco Romana onde tudo exatamente tudo era permitido aos homens, dominantes das ideias, e a população que julgavam inferiores, simplesmente acatavam, por força do medo da alienação, depois não entendem porque nos Estados Unidos há tantos casos de suicídios e tantos surtos psicóticos violentos que já estão chamando a tensão da comunidade científica psiquiátrica em todo mundo.
Baseado nestas observações e discordando dessas posições atuais, e sabendo de sua militância hoje, me reservo no direito de militar também contra, fazer oposição ferrenha a estes abusos de poder psicológico que para mim não passam de manipulação. Inversão da realidade de valores que eles por não terem fé em Deus, não concordam e não percebem que sem parâmetros estão criando uma sociedade doentia que vive em busca de prazer a todo custo, se aprisionando de maneira cruel a realização desses. E os profissionais por sua vez, mesmo não concordando, são engolidos por estes de forma covarde por serem omissos e colocarem sua profissão acima de Deus. Nem ao menos em artigos reclamam desse autoritarismo.
O magistrado por sua vez está nessa linha psicológica também interpretando tudo pelo mesmo viés dos desejos pessoais. Mas a pior de todas é a mídia que aproveita e deturpa a informação para nos fazer acreditar que essa loucura seja aceita como normal, porque é controlada por homens que não acreditam em um Deus, por isso se opõem a Ele. De tanto falar uma mentira ela se torna verdade na mente das pessoas, e essa é a ideia ter uma loucura orquestrada e parecer que ninguém vê.
Como podemos ser a favor de uma relação supostamente “afetiva”, que em minha opinião de afetivo não tem nada, pois o nome disso é “Orgia”, legalização da “Putaria” – me perdoem à expressão, mas a uso para me fazer entender sem falsos moralismos.
Não tenho poder político, mas tenho poder da fala e do conhecimento, e poder de influência e vou dizer o que penso.
O panorama político no Brasil
Parlamentares muitas vezes lutam sozinhos uns bens intencionados, outros por não saber como se juntar, alguns porque seu ego não permite unir, muitos sem opção matando um leão por dia, correndo atrás de manter seu voto, fazendo favores para seus “donos” que o elegeram não tendo tempo para fazer a obra política para qual foram chamados por Deus.
Alguns parlamentares se elegem da seguinte forma: prometem mundos e fundos para líderes, empresários que o apoiam, não pela visão de Reino e ou pelas causas da família nacional e sim para ajudar sua igreja, e viram refém desses líderes que se aproveitam para fortalecer sua “placa” e fica o parlamentar limitado para fazer apenas o que seu “dono” manda e abandona suas bandeiras.
Outro tem o sonho megalomaníaco de ser “aclamado” por todos e entram para política, pois veem neste cargo a palavra mágica ‘poder’, doce engano.
Em Brasília o Deputado João Campos presidente da frente parlamentar evangélica luta bravamente para administrar ego e interesses pessoais dos colegas (com tantas guerras para enfrentar). Muitos não entendem a importância em andar juntos e de esquecer as diferenças.
Outro dia eu ouvi, pasmem, de um assessor de deputado: “Se der certo o projeto de um, a fama vai pra quem?”. Nem preciso comentar o que senti ao ouvir tal comentário. Mas ainda assim a bancada evangélica luta para não aprovar tais projetos que ferem a família, e temos sim nossos heróis que precisam desesperadamente de nossa ajuda, e podemos ajudar cobrando o voto, por exemplo, e tem gente que nem sabe para quem votou essa é a verdade, mesmo não concordando pessoalmente com a forma que alguns levam seu mandato, mesmo sabendo que outros estão lá apenas para promoção pessoal ainda assim vale a pena, pois no final acabam votando nas causas que nos importam.
Vejo um senador como Magno Malta “herói solitário”, pedindo, implorando ajuda de seus colegas e em contrapartida grupinhos se formando apenas para diminuir a força, por questões de ego e de poder, a crítica de alguns chega a ser de uma inconsequência sem precedentes, não pensam além do seu próprio umbigo, porque não sabem separar questão pessoal da luta pelas causas em favor da nação, que é a de Cristo. Ainda assim sua determinação tem atraído muitos, mesmo de outras religiões que lutam pela mesma causas e temos a maior bancada da frente da família, e este senador está na comissão que discutirá as novas leis. Diante do exposto devemos nos unir e colaborar pelo menos com nossas orações e reconhecer que Deus está no comando.
Exemplos como o apoio do Pastor Silas Malafaia que é um líder político sem estar na política que usa sua força nacional para o bem comum e que tem sido um grande aliado nas causas em defesa da família (diferenças doutrinárias a parte). Este líder neste cenário da atual política tem que ser imitado e não combatido, pois junto com seu apoio outros líderes renomados têm mudado suas cabeças e crescido politicamente, a boa política tem que ser exercitada. Em nome de Jesus Igreja acorda!
Triste é que, enquanto a nação que serve a Deus sofre, outros se juntam aos inimigos para não ficar “mal na fita”, como dizem meus manos do hip-hop que usam seus louvores para gritar também sua indignação. Veem? Muitos gritam, o povo clama nas redes sociais que se tornou o lugar preferido e possível onde encontramos uma chance de tentar sermos ouvidos.
Os crentes ficam fora das universidades, deixam o poder do pensamento somente com aqueles que formam “deformando” através do Humanismo, do ceticismo do Darwinismo, ensinando aos nossos filhos que nada mais somos que uma simples e aleatória “evolução acidental”. Quem detém o conhecimento detém o poder.
Neste cenário de anti-cristos heróis surgem, movimentos como Fenasp, CNBB, sites, portais, pessoas simples, comuns, que saem em defesa da família denunciando todas essas tentativas de destruir a família e de certa forma ajudam os deputados levando notícias que ferem a sociedade brasileira. Eu mesma sou uma “chata” dessas, digo isso porque pessoas como nós levam este título e muitas vezes somos discriminadas em nosso meio e se Deus nos eleva já querem nos fazer iguais a eles, com comentários de promoção pessoal, isso porque nos indignamos e não aceitamos tal inércia e cobramos atitudes e passamos por cima de nosso próprio ego para simplesmente ajudar, contribuir, crendo ser nossa função e não mais que obrigação.
Nossas orações tem que ser colocadas em ação
Hoje pela manhã conversei com Wilton Acosta, presidente do Fenasp, que mostrou sua indignação, pois tem sofrido e enfrentado todos esses problemas acima citados para o bem comum e lutado nos Estados incentivando pastores a apoiarem a política local e cobrar do mesmo antecipadamente comprometimento com as causas da família tradicional. Fico feliz de pertencer ao Fenas e voluntariamente também estar nessa luta nacional.
Também entrei em contato com deputado João Campos, presidente da Frente Parlamentar Evangélica, que se mostrou apreensivo e revoltado com o rumo e com a rapidez com que as coisas vêm acontecendo:
“Realmente uma noticia que pegou a todos de surpresa, na verdade é uma sociedade patrimonial e não união instável. Mas a mídia quer vender, como fez com o nosso projeto o apelidando de “Cura gay” para colocar a sociedade contra nosso projeto, neste caso querem manipular a população para que se acostume com esse tipo de união, que querem implantar em nossa sociedade e vamos nos opor com certeza, pois sabemos que são artimanhas maquiavélicas para se chegar a esse objetivo. Pela constituição não procede, estaremos atentos.
Não contente ligue para CNBB de São Paulo, me disseram que vão investigar o caso. A assessoria me comunicou que a posição da Igreja Católica em todo mundo e aqui no Brasil é essa: não trair sua fé, de forma alguma nada nem ninguém tem poder de mudar princípios de mais de dois mil anos descritos por Jesus nosso Deus. A Igreja Católica não se renderá a essas Leis contrárias a princípios Cristãos”.
A Globo promove a “trigamia” há anos
Neste instante me veio à memória que esta legalização de casamento a três vem sendo implantada na cabeça da sociedade há anos pela mídia, que é subversiva. Me lembrei de uma novela que está no ar, que mostra o absurdo de um “trigamo”, um tal de “Cadinho”, personagem do ator Alexandra Borges, na novela das oito Avenida Brasil; que tem três mulheres, um filho com cada uma delas e ao ser descoberto pelas três, depois de ficarem indignadas, aceitam a situação e fazem um contrato dividindo o marido. Esse valor é então repassado de forma divertida para população, mexendo com as fantasias do homem. Mas não para por aí ainda tem uma personagem chamada “Suelem” que virou, como a novela diz, patrimônio cultural do bairro (por já ter se deitado com todos); casada com um gay, mas que ama outro. Enfim a trama está colocando os três juntos como uma família.
Investigando no site do Globo o passado televisivo, encontrei várias referências sobre relacionamento a três. Esta emissora já investe nesse tipo de relacionamento há anos. Ou seja, há anos mostram de forma subliminar casais “legais, divertidos” geralmente um deles é gay, que ficam juntos tendo relacionamento bissexual, e/ou homoerótico, onde sempre a mulher é desrespeitada, mostrada como uma parideira e o casamento tradicional como preconceituoso.
Sempre quando vejo algo parecido na TV me preocupo e a reposta dos estudiosos é nem tudo que fantasiamos temos coragem de fazer. Na verdade concordo, mas com a sociedade a psicologia, a mídia e agora a lei nos induzem a acreditar e tornar possível, igual, normal, aceitável. Realmente, a tendência é que pela manipulação de valores e a exposição maciça destes casos, cada vez mais a sociedade, perdida em suas referências de valores universais e princípios, aceite viver desta forma. Acreditando ser politicamente correta.
E minha pergunta é: quem veio ao mundo para colocar um freio social nos desmandos dos líderes, nas injustiças sociais, nos exageros das culturas, nas deturpações de convivência senão o Judaísmo/Cristianismo? Nossa fé se opõe a “agenda gay”, que promove abordo, legalização de drogas, casamento com o mesmo sexo, poligamia e agora trigamia? Eles utilizam estas lutas contrárias às leis de Deus para destruir a família, para nos enfraquecer e, aos poucos, voltar a “era” da escuridão da Antiguidade, onde homens se refestelavam em banquetes, fazendo orgias com os mesmo e suas prostitutas e suas mulheres serviam apenas para procriação, a “trigamia” já existia nesta era antes de Cristo e é essa ideia que lançam sobre a sociedade de hoje, que foi na verdade passada pela cultura grego romana entre outras, e Deus veio como um freio social como um impedimento.
Somente com advento do Cristianismo que a mulher começou a ser vista como alguém especial com vontades e direitos, e, hoje, querem nos colocar nesta mesma condição da Antiguidade. A “prostituta” e/ou a “parideira”, pois como mulher me sinto ofendida.
Temo pelo caminho que a humanidade vem tomando, me importo, me exponho, ajudo parlamentares quando posso e quando aceitam ajuda, me envolvo nas lutas, sou fenaspiana, vou às igrejas, prego e sempre falo dessas questões numa tentativa desesperada de ser útil e mudar um pouco a cabeça dos nossos líderes, membros e jovens chamando a atenção para necessidade de nos envolvermos na política de maneira saudável, pois é uma forma prática de lutarmos pela família pelos valores que não são somente Cristãos, mas éticos de convivência é a humanidade que está em perigo.
Essa é minha luta e uso de forma honesta amigos, tento chegar sim aos grandes líderes, grandes políticos com servidão, apoiando muitas vezes sendo até mal interpretada, humilhada, mas não me deixo intimidar, pois sei que preciso como cristã fazer minha parte, temos que alertar nossos líderes e nossos políticos, pois muitos se fecharam em seus problemas internos e não veem o perigo social que a igreja e a família sofrem. Não podemos dar ouvidos a egos feridos e sim correr contra o tempo, ou teremos mesmo que nos fechar em nossas igrejas, voltar às comunidades excluídas socialmente para podermos viver como manda nossa fé.
Se essa censura se estabelecer de vez através desses golpes contra a família, como será pregado? Sei que como profissional estou me expondo falando dessa forma, mas se temer estarei contribuindo com minha omissão e esses desmandos. A maldade humana só cresce pela nossa omissão.
Igreja reaja apoiem seus candidatos, não apenas ore, transforme sua oração em ação, precisamos de vereadores em todos Brasil, pois foi em um município que este fato ocorreu, esses grupos ‘anti-família’ estão nos municípios mudando leis, pois veem em Brasília mais força contrária, então a estratégia são atacar os municípios.
A própria Bíblia nos diz que a política nasce da fé, pois Deus disse a Abraão: “De ti sairão reis, príncipes e governantes” (Gênesis 17.6). Quem não gosta de governantes terá dificuldade de aceitar Yeshua Ha Mashiach (Jesus Cristo – o Messias, em hebraico), pois Ele voltará como Rei dos reis e Senhor dos senhores. E pelo que eu saiba um rei é um governante.
Quando os justos se engrandecem, o povo se alegra, mas, quando o ímpio domina, o povo suspira (Provérbios 29.2)
Quando os justos triunfam, há grande alegria; mas, quando os ímpios sobem, os homens escondem-se (Provérbios 28.12)
Psicóloga Marisa Lobo sua serva em Cristo.