sexta-feira, 31 de agosto de 2012

O MENOR DE TODOS


“A mim, o menor de todos os santos, me foi dada esta graça de pregar aos gentios o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo...” - Ef 3:8

Deus tem o poder de aguçar os nossos sentidos para perceber, desfrutar, sentir tudo novo quando lemos um versículo apenas, como se estivéssemos lendo-o pela primeira vez. E mais que isso, nos emociona-nos toca profundamente, nos atrai, nos inspira e acrescenta mais em nossas vidas, da sua própria vida e poder da fé, fazendo assim sua obra maravilhosa de santificação em nós, pela lavagem de água da Palavra de Deus. Vejo isto nesta pequena frase de Paulo. Ele se humilhava diante do Senhor, ao dizer que era o menor de todos os santos, mesmo sendo hoje, dois mil anos depois, o maior de todos os santos. Não houve outro homem desde Paulo ate hoje, que nos revelasse tamanhas profundidades e riquezas de Cristo, como ele fez pela igreja de Cristo, doando-se por inteiro a Deus, entregando-se como uma oferta de libação ao Senhor, como mesmo disse no fim de seus dias. Bem, mas mesmo na sua profunda humildade diante de Deus, ele nos dá a entender, que o importante não é ser o maior ou menor, [assim como Cristo fez com os discípulos, quando colocou uma criança no meio deles], mas nos diz de novo que o servo mais humilde e aprovado, é aquele que serve os irmãos e ao Senhor, sem buscar gloria dos homens. Também nos revela que o mais importante não é ser, pois isso é pura graça e misericórdia de Deus para aqueles que o buscam, mas saber servir a Deus com profunda gratidão e devoção, visto que nos seus propósitos eternos, nos concedeu uma graça ainda maior, que mesmo sendo o menor do menor de todos os santos, ainda assim em nossa fraqueza, fomos escolhidos e capacitados por Ele mesmo, para "pregarmos o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo."    


-Daniel Prado Carneiro - 31.08.12