quarta-feira, 5 de setembro de 2012

DEUS SE ALEGRA NA MORTE DE SEUS SANTOS


Por Gabriel Felipe M. Rocha

“Preciosa é à vista do Senhor a morte de seus santos”

(Salmo 116:15)

Jesus, certa vez disse: Porque qualquer que quiser salvar a sua vida perdê-la-á; mas qualquer que, por amor de mim, perder a sua vida a salvará” (Lucas 9:24).
Pois bem, quero começar esta postagem dizendo o seguinte: Ser crente é, inevitavelmente, estar morto para o mundo (se possível, enterrado).
Toda a prática do EVANGELHO consiste em VIVER PARA DEUS.  Para se viver uma vida assim (com Deus) necessário é viver em espírito, pois Deus é ESPÍRITO; a comunhão entre o ser humano (corruptível) e DEUS só se dá no plano espiritual, para isso Jesus( Deus na forma de homem) foi à cruz derramar seu SANGUE (Espírito Santo) para que esse elo humano-divino fosse garantido.
“Na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do ESPÍRITO não pode entrar no REINO DE DEUS” (João 3:5)
Para viver a vida que o Senhor nos pede no texto acima, necessário é nascer de novo. Nascer de novo implica morrer primeiro.
Há nesse mundo vários tipos de pessoas. Existem também vários tipos de “crentes”, uma vez que CRER no Senhor Jesus é importantíssimo, mas essa experiência se dá no decorrer da vida, é o que chamamos de “processo de salvação”.  Nesse processo, o verdadeiro crente se mostra na sua vida diária cuja característica envolve a santificação e a frutificação do Espírito Santo na vida dessa pessoa.
Existem (dentro das igrejas) pessoas convertidas ao Evangelho e pessoas convencidas à religião. Há pessoas que verdadeiramente morreram para o mundo e há pessoas que estão bem vivas para esse mundo, amando-o a cada dia sem se importar com os valores espirituais do REINO.
Jesus foi claro: “aquele que não nascer... não pode entrar...”
Irmãos, precisamos morrer a cada dia! Nosso eu, nossa razão (sempre predominante, pois somos indivíduos racionais abertos ao todo), nossos pecados, nossos desejos, etc.
Fazer a vontade do Pai é morrer primeiro.  Fazer a vontade do Senhor é vida nova. É agradar ao Senhor, uma vez que nossa posição perante Deus é a posição de SERVO.
Jesus também disse: “quem quiser vir após mim, pegue a sua cruz e siga-me”. Te pergunto: Para que servia a cruz?
No versículo 6 do capítulo 3 de João, Jesus ensina que não há negociação com o mundo e nem com a verdade e respeito do homem. O que é do Espírito, vive em espírito, o que é da carne, vive na carne.
Morrer para o mundo é, portanto reviver para Deus. É despertar do pecado e vir para luz. É sair da servidão do pecado para ser servo de Cristo.
“Portanto se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima...” (Colossenses 3:1)
O Evangelho insiste muito nessa questão que envolve nossa “morte” para esse mundo, pois não há como realizar a OBRA sem morrer para o mundo. Um exemplo: Ainda em João3, versículo 8 a Palavra nos ensina que, nascer de novo (morrer para o mundo) é estar plenamente no centro da vontade do Senhor, como uma folha seca ao vento que voa para onde o mesmo assoprar.
Para o plano de redenção valer, Jesus, além de morrer, teria que ressuscitar. Ressuscitou! A nossa vida espiritual,em parte, é semelhante. Para o Reino ser garantido em nossas vidas, temos que morrer para o mundo e ressuscitarmos para Deus, fazendo a sua vontade a partir de então.
“ Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé [...]” (Gálatas 2:20)
Voltando, portanto, ao texto do início desta postagem (Lucas 9:24), dizemos que a nossa redenção está garantida na medida em que estamos mortos para nós mesmos. Há uma promessa para todos nós que abdicamos de tudo que éramos para sermos exclusivos de Deus.
Mas, o caminho é estreito e nossa lutas diárias são reais. Surgem perguntas: Como morrer diariamente para o mundo? Como manter essa benção? Como não deixar o mundo resurgir em nós?
Mas há uma resposta: “Mas qualquer que, POR AMOR DE MIM, perder a sua vida, a salvará” (Lc 9:24).

O segredo está no AMOR ao Senhor, amor por sua OBRA, amor pelo Evangelho. Tudo que fizermos sem amor prosperará ou terá um resultado pleno em sucesso (1Corínthios 13: 1 –a3). Se abdicamos desse mundo para sermos de Deus, não foi porque nossa mente foi controlada para assim fazermos, mas sim porque escolhemos e optamos por aquele que nos amou primeiro. Fizemos isso por amor e consciência.
Há uma recompensa para os que escolheram amar o Senhor mais que suas próprias vidas:
“ Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, e não subiram ao coração do homem são as que Deus preparou para os que o amam” (1 Cor. 2:9)
Que benção! Você com certeza reparou que o título desta postagem se encontra lá no livro de Salmos, capítulo 116, versículo 15, não é?
Pois bem, Deus se alegra sim na morte de seus santos. E isso em ambos os sentidos, seja a morte física (pois a alma volta ao Criador), seja a morte para o mundo, que significa VIDA COM DEUS.
Como viver uma vida vitoriosa, uma vez mortos para o MUNDO? É viver na vontade do Senhor, trazendo alegria para o Senhor e assim somos fortalecidos a cada dia com a força de seu poder. Lembre-se: A Alegria do Senhor é a nossa força! Portanto, Deus se alegra na morte de seus santos. Aleluia!

Gabriel Felipe Martins Rocha
http://palavraserio.blogspot.com.br