domingo, 9 de setembro de 2012

DEUS SE CALOU?


O Senhor olhou desde os céus para os filhos dos homens, para ver se havia algum que tivesse entendimento e buscasse a Deus". – Salmo 14:2

Sempre ouvimos dos mestres das escolas teológicas, que Deus se calou no período de Malaquias a João Batista. Mas isto nunca foi verdade, nem expressa qualquer aspecto do caráter santo de Deus e de seus propósitos para a humanidade.
Vemos que o povo de Deus endureceu o coração e desobedeceu os mandamentos do Senhor, escolhendo através de suas ações e indiferença  a palavra de Deus, as maldições em lugar das bênçãos; escolhendo para seu próprio mal a morte em vez da vida. Trocaram a presença gloriosa do grande EU SOU, pela nulidade e cegueira da idolatria e suas consequências trágicas. O povo de Deus trocou a força, fidelidade e poder do Senhor dos Exércitos, pela força do seu próprio braço e pelas impressões cegas de seus corações obstinados.
Mesmo depois da tomada de Israel pelo reino Assírio 722 antes de Cristo, Deus ainda enviou seus profetas Isaías, Oséias, Miquéias, Naum, Jeremias, Sofonias, Habacuque, Obadias, para que Judá se arrependesse e não fosse pelo mesmo caminho de Israel. Em 586 AC, Jerusalém é tomada através de um cerco terrível, conforme profetizou Jeremias, que os pais comeriam a carne de seus próprios filhos.  O coração de seu povo continuava longe de Deus e poucos homens somente estavam firmes e dispostos a servir a Deus. Nestes 345 anos, desde o fim da monarquia ate o cativeiro Babilônico, Deus nunca se calou, falando dia e noite a um povo rebelde e ingrato. Entretanto, Deus somente falou ao povo escolhido, por causa de alguns homens e mulheres que dispuseram seus corações para buscar e servir a Deus, obedecendo suas palavras e incumbências dadas a cada um, para que a bondade e misericórdia do Senhor, não perdessem o lugar para sua ira, severidade e juízo.  Então podemos perguntar, quando Deus se calou? Mesmo no período de cativeiro Deus continua falando através de Obadias, Jeremias, Ezequiel e Daniel.  Após o termino do cativeiro, Deus se revela e move o coração do poderoso imperador Ciro, para participar e trabalhar para Deus. Deus levanta poucos homens fieis nesta época como Zorobabel, Esdras e Neemias para reconstrução de Jerusalém, mas ainda continua levantando homens ou profetas fiéis a Deus como Zacarias, Ageu e Malaquias para falar com o povo que tinha voltado para a terra prometida.
Mesmo depois de todo intenso sofrimento, morte, peste e perda da identidade de um povo a quem Deus escolhera, ainda assim, não se voltaram completamente para o Senhor que os trouxera de volta para suas possessões para andarem e servirem a Deus com um coração íntegro.  Deus estava calado? Não, Ele nunca se calou desde o inicio da sua criação perfeita, mesmo tendo todo o direito para se calar diante da desobediência de suas criaturas e povo eleito, mas quanto mais se passava o tempo, mais raro se tornava a existência de homens que se voltassem para Deus.
Cai o império Assírio e o império Babilônico, mas a fidelidade e promessas  de Deus nunca terminam. Começa o império Medo Persa, e o povo de Deus continua cada vez mais distante do seu Senhor e libertador.  De Malaquias até a vinda do Messias, ainda existiram homens e mulheres fiéis. Deus guardava ainda seu juramento feito à descendência de Davi. Ainda se mantinha acessa a chama da fé, ainda que fraca, no coração de poucos, na Tribo de Judá e de poucos homens fieis entre o Israel de Deus.  Deus jamais se calou. Na verdade, faltaram homens com inteireza de coração, intrepidez e fé no grande EU SOU, para que sua voz fosse ouvida naqueles quatrocentos anos, onde nasce neste período, o período que chamo de “cachorro que corre atrás do seu rabo”, ou o surgimento dos grandes filósofos, como sinal da total independência, auto-suficiência e cegueira do homem, que escolheram caminhar da escuridão de seus próprios raciocínios e caminhos, deixando a luz da glória de Deus.
No tempo chamado de período das trevas, também alguns cegos ousam afirmar que Deus resolveu tirar umas férias, mas estas heresias que afirmam que Deus se calou, se cansou, deu as costas ao homem que criou e muito amou, devemos rejeitar, visto que na palavra de Deus, nos é revelado a grandiosa bondade, fidelidade, misericórdia e firmes propósitos de Deus, de ser conhecido e exaltado em toda a terra, através de homens e mulheres, que espontaneamente e movidos somente por amor, se entregaram completamente ao Senhor e ao seu serviço como verdadeiras testemunhas e mensageiros do amor de Deus. Se não houver alguém que responda sinceramente ao clamor de Deus, que chama a todos para a sua seara e se disponha inteiramente em suas mãos, então Deus não terá outra escolha a não ser esperar, deixando suas palavras ecoando em toda terra, dia e noite – A quem enviarei, e quem há de ir por nós?”, ate que se apresentem diante dele, homens simples, humildes, falhos, mas com um coração determinado que confesse simplesmente a Deus: “Eis-me aqui, envia-me a mim.” – Is. 6.8
 
- Daniel Prado Carneiro – Maringá - 06.09.12