Vejo neste remanescente fiel, o perfil da Igreja de Filadélfia, aonde Cristo diz: “Conheço as tuas obras; eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar; tendo pouca força, guardaste a minha palavra, e não negaste o meu nome.” – Apocalipse 3:8

Deste remanescente Paulo fala, “como desconhecidos, mas sendo bem conhecidos” – II Cor.6.9. Assim Cristo diz a sua igreja fiel – conheço a suas obras. O mundo pode não conhecer, mas Cristo conhece. Paulo fala em Romanos 8 que nada, nem os poderes do inferno, poderiam nos separar do amor de Cristo. Jesus diz: “eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar.” Nada poderá deter aqueles que realmente estão abrigados na palavra de Deus e não cegos pela religião morta. Assim com Deus guardou Moises diante da fúria do inimigo, também guardou Daniel, Elias, Jeremias, Davi, e assim nos guiará seguros nEle e na sua força. A porta aberta é Jesus caminhando vitorioso na nossa frente como o Senhor dos Senhores e Rei dos Reis.

Este remanescente sempre teve uma marca, que nem Filadélfia - “que tens pouca força, mas guardaste a minha palavra e não negaste o meu nome.“ Eles nunca se deixaram contaminar por nenhuma doutrina ou heresia, mas mantiveram-se sempre fieis a Palavra de Deus. Paulo fala mais deste remanescente fiel, “como morrendo, e eis que vivemos; como castigados, e não mortos; Como contristados, mas sempre alegres; como pobres, mas enriquecendo a muitos; como nada tendo, e possuindo tudo.” – II Co. 6.10.
Esta pouca força não é um sinal de fraqueza, mas sim um morrer para si mesmo e para o mundo e uma dependência e devoção integral ao Senhor. Assim Paulo também nos diz: “Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte.” – II Cor. 12:10 

Enfim, este remanescente, assim como Filadélfia, nunca negaram o nome de Deus, não se corrompendo ou se vendendo pela fama, pelo poder, pelas alianças com os homens, onde os mesmos trocaram a gloria de Deus, pela vangloria dos homens. Paulo também diz: “Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.”Rom.1:21-23,25

Também o remanescente de Deus nunca se preocupou com cargos e posições. Nunca lutou por deter o poder de Deus em suas mãos. Nunca quis sentar nos tronos da ilusão, nem no engano de satanás, mas permaneceram na humildade e simplicidade de Cristo, não caindo nunca no grande engodo de querer liderar ou tomar o lugar do cabeça da igreja, pois transportados, fortalecidos na fé e esperança, colocam-se juntos com os milhares e milhares nos céus a proclamar em uma grande e única voz: “Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças.” - Ap 5:12

-Daniel Prado Carneiro- 25.09.2012