sexta-feira, 14 de setembro de 2012

PERFEITA É TUA PALAVRA


“Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.
Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite.
Não há linguagem nem fala onde não se ouça a sua voz. A sua linha se estende por toda a terra, e as suas palavras até ao fim do mundo. Neles pôs uma tenda para o sol, O qual é como um noivo que sai do seu tálamo, e se alegra como um herói, a correr o seu caminho.
A sua saída é desde uma extremidade dos céus, e o seu curso até à outra extremidade, e nada se esconde ao seu calor.” - Salmo 19:1-6

O sol não entra em conflito com a lua. Os planetas não brigam por quem irá ficar mais perto ou mais longe do sol, pois se a natureza tivesse o pecado do homem, então iriam entrar em disputas e guerras, exibindo suas belezas, diversidades e singularidades, talvez indo ate a destruição ou colapso de toda natureza.
Mas Davi fala que toda natureza, não em divisão e guerra, declaram a glória de Deus, em harmonia, beleza, com a linguagem da perfeição de Deus, onde milhares de espécies de vegetais e animais não entram em conflito, mas unificam-se para tributar honra, gloria e majestade ao único Deus e criador de todas as coisas. Então o salmo começa um outro assunto, que parece que está desvinculado do primeiro assunto, mas não está. Ele nos revela que a palavra do Senhor é perfeita assim como Deus é perfeito. E se Deus é perfeito, como o é, então nele não pode haver e nunca houve nenhuma divisão, conflito, contradição, discórdia, mas sim uma melodia eterna de paz, unidade, poder, soberania e gloria que não podemos medir, como uma canção que não só a terra entoa, mas todo o universo, declarando que Deus e sua santa palavra, que nos são revelados pelos seus testemunhos, preceitos, mandamentos e juízos, habitam nesta esta perfeição que faz parte da essência de Deus. Entretanto estes tesouros escondidos em minas profundas do coração de Deus, foram reservados e revelados somente para os simples e humildes de coração, que assim como toda criação de Deus, estão em perfeita harmonia com Deus através da fé, confiança e descanso absoluto na soberania e poder de Deus, através do Espírito Santo de Deus, que concede aos símplices, consolo, esperança, sabedoria, alegria no coração e discernimento de Deus para deleitarem-se na beleza e perfeição da palavra de Deus.
Tambem nos declara Davi, que o temor e caráter de Deus é puro e santo, e junto com todas as suas obras nos céus e na terra, anjos e eleitos, permanecem firmados desde agora e para sempre, na verdade e justiça de Deus, desfrutando do ouro finíssimo, do mel e desfrute da riquezas inesgotáveis da sua pura, fiel, reta, limpa, verdadeira e PERFEITA PALAVRA DE DEUS.
No final do salmo, Davi declara sua gratidão, por ter a palavra dentro de si como seu maior tesouro, pois diz que os mandamentos de Deus nos admoestam, expurga-nos dos pecados ocultos, livra da soberba e que liberto deste grande mal, podemos abrigados na fortaleza e refúgio sem igual, que é a palavra indivisível de Deus,  sermos filhos sinceros e limpos de toda transgressão, por causa do poder purificador e santificador da lei de Deus. Então, vestidos desta justiça e retidão dos preceitos do Senhor, iremos livres da mediocridade, soberba e insensatez, proclamar com gratidão, o fruto de sua graça em nós, assim como Davi: Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, Senhor, Rocha minha e Redentor meu!” 
“A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do Senhor é fiel, e dá sabedoria aos símplices. Os preceitos do Senhor são retos e alegram o coração; o mandamento do Senhor é puro, e ilumina os olhos. O temor do Senhor é limpo, e permanece eternamente; os juízos do Senhor são verdadeiros e justos juntamente. Mais desejáveis são do que o ouro, sim, do que muito ouro fino; e mais doces do que o mel e o licor dos favos. Também por eles é admoestado o teu servo; e em os guardar há grande recompensa. Quem pode entender os seus erros? Expurga-me tu dos que me são ocultos. Também da soberba guarda o teu servo, para que se não assenhorie de mim. Então serei sincero, e ficarei limpo de grande transgressão. Sejam agradáveis as palavras da minha boca e a meditação do meu coração perante a tua face, Senhor, Rocha minha e Redentor meu!” - Salmo 19:7-14
“Ouvi, Senhor, a tua palavra, e temi; aviva, ó Senhor, a tua obra no meio dos anos, no meio dos anos faze-a conhecida; na tua ira lembra-te da misericórdia." - Habacuque 3:2
“Os céus louvarão as tuas maravilhas, ó Senhor, e a tua fidelidade na assembléia dos santos." - Salmo 89:5

- Daniel Prado Carneiro – 13.09.2012