quinta-feira, 4 de outubro de 2012

APASCENTA AS MINHAS OVELHAS

“Disse-lhe terceira vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Simão entristeceu-se por lhe ter dito terceira vez: Amas-me? E disse-lhe: Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo. Jesus disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas.” - João 21:17

Apascentar é alimentar as ovelhas, é caminhar com elas guiando-as pelo caminho seguro, é estar junto delas, conhecendo e se relacionado com cada uma delas, ouvindo-as, orando com elas, chorando, sorrindo, lutando com elas e por elas, curando-as, tratando dia a dia de seus possíveis ferimentos, abençoando-as e ensinado-as a se relacionarem diretamente com Deus, mostrando que Deus é totalmente acessível a qualquer instante, seja aonde for, no nosso espírito, bastando que estejamos sempre nos voltando para dentro, para a presença do Deus vivo que habita em nós, levando-as a desfrutar de Deus de maneira simples, direta, através do Espírito Santo. O pastor tem que ensinar que Jesus é a palavra, comida e bebida. Que Jesus é o verdadeiro bom Pastor que cuida de nós e nos alimenta todos os dias com sua graça. O pastor irá ensinar que precisamos guardar a palavra de Deus, mais e mais no nosso coração, para ter comunhão com Deus, através de leitura e meditação da palavra, oração constante e comunhão com os irmãos. E isso, temos que fazer juntos, nas casas, nas praças, na padaria, no carro, na praia, no sítio, ou em qualquer outro lugar, mas na unidade do Espírito, com singeleza e alegria de coração.  Andar com Deus é uma vida de simplicidade e alegria, de contentamento, amor fraternal, fé e esperança. 
Depois que Pedro confessou seu amor por Jesus, ainda tímido e triste, na beira do mar de Tiberíades (Jo.21), Cristo apenas lhe deu uma ordem -  pastoreia, apascenta, cuida dos teus irmãos na fé. Ele não falou para Pedro fazer política, ser relações públicas do cristianismo, que ele iria a partir dali, ser muito famoso, virar um ponto de referencia, uma figura centralizadora, encantadora e receber toda gloria do mundo, mas as palavras de Jesus imprimiram novamente uma marca poderosa na vida de Pedro e dos apóstolos, assim como disse na primeira vez, “vinde após mim e vos farei pescadores de homens”. Jesus nunca enganou ninguém. Ele nunca disse vinde e vos farei sumo-sacerdotes de Israel. Mas vinde e vocês continuarão a obra que comecei. Agora, Pedro não tinha só aquela primeira incumbência de ser um evangelista, mas também a grande responsabilidade de cuidar do rebanho de Deus, com o mesmo amor, bondade e paciência, que Cristo teve e tem por nós. Cristo estava lhe falando sobre o perfil de um servo, dizendo que quem ama, obedece.  Jesus estava repetindo palavras que já havia falado antes – Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.” - João 14:2  
Pedro, Paulo, João e muitos outros não perderam o foco deste ensinamento fundamental do filho de Deus. Paulo deu sua vida pela igreja, assim como Cristo, e não buscou sua própria gloria. Davi nunca se esqueceu de onde ele veio, “Eu te tirei do curral, de detrás das ovelhas,” (I Cr.17.7), por isso sempre manteve seu coração na simplicidade e humildade. Moisés foi chamado, depois do seu longo estágio de pastor de rebanhos, para então pastorear o verdadeiro rebanho de Deus.
Agora, não podemos perder nunca de vista, que as ovelhas nos foram confiadas por Cristo para  levarmos o rebanho para o crescimento da graça de Cristo e não para nossa dependência. Que elas não pertencem a nós, mas a Cristo, que é o verdadeiro Pastor, que deu sua vida por nós. Que a única coisa que possa nos ameaçar e levar-nos a ciúmes, seja um leão e um urso, que pela fé, os derrotaremos. Pedro, assim com os outros irmãos, sabia que era um líder, Pedra, coluna, mas nunca deixou de ver que isto não era mais importante que a missão que Cristo lhe dera, mas manteve a visão no exemplo do Senhor. Ele nunca esqueceu que alem de líder, era também uma ovelha, dependente dos demais e do Senhor para cumprir sua vocação. Ou seja, eles não retiveram nada para si ou para seu próprio detrimento, na graça que vem somente de Deus, mas entregaram suas vidas e de todo rebanho de Deus nas mãos do Pastor de nossas almas. Eles sempre venceram as tentações e ilusão de ter ou manter o rebanho sob o controle de suas mãos.
E nós, estamos seguindo e praticando esse modelo que o Senhor Jesus deixou para Pedro, Paulo e para todos nós? Já entregamos tudo nas suas mãos, como prova de nosso amor e obediência a Ele? Estamos no meio do rebanho de Deus ou estamos lá na frente, lá no alto do rebanho ou distantes do verdadeiro pastorear? Vimos que Jesus, sendo Deus, não usou este poder, mas humilhou-se por amor de nós, para nos ensinar o caminho da obediência e temor ao Pai? Somos servos ou queremos ser servidos? Estamos livres em Cristo, ou ainda estamos presos a qualquer coisa, que nos roube a verdadeira visão e zelo de cuidar da igreja de Cristo?
Porque, se enlouquecemos, é para Deus; e, se conservamos o juízo, é para vós. Porque o amor de Cristo nos constrange, julgando nós assim: que, se um morreu por todos, logo todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. Assim que daqui por diante a ninguém conhecemos segundo a carne, e, ainda que também tenhamos conhecido Cristo segundo a carne, contudo agora já não o conhecemos deste modo.” - II Coríntios 5:13-16

-Daniel Prado Carneiro – 03.10.12