segunda-feira, 1 de outubro de 2012

ESPINHOS DE AMOR


 
“Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente. “  -II Cor. 4:17

Não podemos esquecer nunca quanto dor e sofrimento o Senhor passou para que tivéssemos vida, em toda sua trajetória, desde a manjedoura ate chegar na sua glorificação. Ele agora como o verdadeiro sumo sacerdote intercede por nós continuamente diante de Deus. Ele como nosso advogado nos defende diante de Deus e de todos que venham nos acusar a respeito de qualquer pequena mancha que alguém possa lançar em nossas vestes de linho puro, que é a sua perfeita obra em nós.
Ele com seu precioso sangue e com seu imenso amor, nos perdoa todos os dias e nos lava de nossos pecados e injustiças, fazendo-nos desde já assentar juntamente com ele na sua vitória eterna.
Nós também devemos entender que todo sofrimento ou deserto que tenhamos que percorrer ate chegar na nossa casa celestial, são espinhos de amor, para que através deles aprendamos também a amar e perdoar todos os dias, assim como Ele nos perdoa, para que possamos chegar a sua estatura. Na morte de Estevão, ele estando sendo apedrejado e morto pela intolerância, inveja e maldade humana, não apenas proferiu as mesmas palavras de perdão que Jesus dissera na cruz, mas em seu coração, o amor de Deus jorrou diante de seus acusadores e executores. A nossa cruz pode parecer hoje pesada, mas a graça de Deus, nos faz olhar para alem dela, onde neste honra de podermos participar em parte, da dolorosa trilha do amor de Deus, seremos aperfeiçoados por Ele mesmo para podermos ver o Senhor de pé na sua excelsa glória, assim como Estevão, ainda nesta vida e depois que passarmos pelo pequeno ribeiro Jordão, para nosso gozo e triunfo eterno juntamente com o Pai.

Daniel Prado Carneiro -  29.09.2012