quinta-feira, 4 de outubro de 2012

O que temos e Porque comemorar no dia das Crianças?

Imagem do Facebook

Infelizmente chegamos a conclusão que não temos absolutamente nada para comemorar no dia chamado “das crianças”!
Diríamos que em todo o mundo, sempre as crianças foram relegadas a um plano inferior, secundário. Poucas são as nações do mundo que verdadeiramente se preocupam com suas crianças! 
Elas estão morrendo de fome em muitas parte do mundo, inclusive no Brasil. 
As verbas destinas à educação das crianças “que amamos”, são desviadas para atender as falcatruas políticas. Outras crianças são quase escravizadas pelos seus pseudos-pais que as obrigam a ir para a ruas e conseguir o que puderem, para atender não as necessidades do lar mas desses bandos de “safados” aproveitadores de crianças. O que dizer então da prostituição infantil, muitas vezes, incentivadas pelos próprios pais, alem daquelas pobres crianças que são maltratadas no lares, estupradas, destruídas…Crescerão cheias de traumas e bloqueios emocionais, e não serão adultos “normais”.
Quando olhamos para uma criança lembramo-nos do que Jesus falou sobre elas: “porque dos tais é o reino de Deus”; “quem não se tornar como uma delas, jamais herdará o reino dos céus”! 
A pergunta que não cala é a seguinte: Como iremos prestar contas a Deus das nossas crianças abandonadas, maltratadas, marginalizadas, iludidas etc.,? Não teremos argumentos justificativos, nem tampouco desculpas para tais questionamentos. 
Ficamos pasmos quando vemos pela televisão, internet, jornais, revistas, a forma como os “pequeninos”são tratados. Não somente os pobres, mas também os ricos, que são criados por “pais- postiços”, porque os de verdade são demasiadamente ocupados e não tem tempo para seus filhos! Terão sim, quando tiverem que tirá-los das cadeias, porque cresceram sem referências paternas, e foram influenciados por más companhias.
Que motivos temos para comemorar o dia das crianças? Eu diria que nenhum! E, com o passar do tempo esta data comercial irá esvair-se até desaparecer.
Você que tem um filho pequeno, que está debaixo do seu teto e cuidados, preste atenção na relação que você tem com eles; o tempo investido neles; a educação que tem passado, não digo a pedagógica, das escolas, mas a mais importante a do lar, do exemplo de pais, formadores de opinião e que sempre devem ser modelos, para que as crianças tenham caráter, e cresçam como cidadãos úteis, para a família, Igreja e sociedade. 
Que Deus tenha misericórdia de nós pais!
Domingos Massa