domingo, 21 de outubro de 2012

Todavia eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da minha salvação.

“Tenho muitas saudades quando a unidade era palpável. Hoje parece que no coração de alguns virou abstrata. Sofro muito com isso. Espero que o Senhor volte logo, ou se minha utilidade tiver bastado, ELE me adormeça o mais rápido possível. Viver para mim é CRISTO, já não tenho prazer que não seja Sua Presença. Parece espiritual demais, mas é um sentir intenso que será provado pela unção. Terei a resposta!”

Esses dias um querido irmão compartilhou este desabafo acima. É a foto do meu coração e sentimento. É muito sincronizado com Deus e o cumprimento de suas palavras. Seu desabafo parece dizer que as pessoas não são inteiras na comunhão. Não se entregam. Não se abrem. Não se misturam no rio da graça de Deus. Não conhecem ainda a verdadeira unidade perfeita da igreja. Quem sabe, ainda não desfrutaram da intensa alegria, paz, união, gozo inefável, na submissão de toda igreja, na regência suave e brilhante do Maestro, a cabeça da Igreja. Alguns já me falaram – eu não entendo o que você fala.

Paulo responde tudo isso, quando diz:
“Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora. E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo. Porque em esperança fomos salvos. Ora a esperança que se vê não é esperança; porque o que alguém vê como o esperará? Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o esperamos. E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que segundo Deus intercede pelos santos. E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” - Romanos 8:22-28

Não só toda criação, mas nos
“que temos as primícias do Espírito, também gememos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo”, pois Deus está consolidando a fé e a esperança nos nossos corações, através deste período de provas, de apostasia, do esfriamento e superficialidade do amor; por este tempo onde também gememos e sofremos de dores de parto, que antecedem a vinda de Jesus, onde necessitamos de uma porção maior da graça, que o texto fala exatamente disso, que o Espírito Santo de Deus, nos “ajuda nas nossas fraquezas”, solidão, tristeza e gemidos ao nosso Deus. Então só o Espírito Santo, que conhece os nossos corações quebrantados, pode levar nossa dor do coração, através de seus gemidos inexprimíveis, ate o trono da Graça, a nosso favor.

Cristo sabia que haveria uma hora, que nos sentiríamos “como órfãos” nesta terra, então falou-nos do maravilhoso Consolador. Paulo nos conforta no final do texto, dizendo que estes sofrimentos dos últimos dias, certamente contribuem para o bem daqueles que amam a Deus; para fortalecimento da esperança, que não olha para as circunstancias, mas nos ensina a perseverar, guardando a palavra e a fé, transformando nosso coração, que nem o coração de Habacuque, que em sua extrema e profunda desolação, testemunhou sua fé preciosa para nós:
“Todavia eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da minha salvação. O Senhor Deus é a minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas.” - Habacuque 3:18-19

- Daniel Prado Carneiro - 19.10.12