terça-feira, 1 de janeiro de 2013

A vinda de Cristo.


Meu sentimento é o mesmo do Apostolo Paulo - "Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. Por isso todos quantos já somos perfeitos, sintamos isto mesmo; e, se sentis alguma coisa de outra maneira, também Deus vo-lo revelará. Mas, naquilo a que já chegamos, andemos segundo a mesma regra, e sintamos o mesmo." - Fil 3:14-16. Mas, o inimigo quer nos tirar do foco. Quanto tempo perdido em discursos, pregações, seminários, debates acerca de coisas que não é o nosso alvo e chamamento, e não vemos a aquela alegria contagiante do Espírito nos irmãos; o desfrute, a festa que é o ajuntamento solene; o crescimento espiritual que nos capacitará a estar de pé na vinda de Jesus; a edificação do corpo onde só podemos acrescentar a vida de Cristo e o trabalhar tão precioso da graça de Deus na vida de cada irmão; a restauração de um viver de simplicidade, onde as vezes nos reunimos só para orar, outras vezes só para louvar e entoar cânticos de gratidão ao Senhor e outras só para comermos e estarmos juntos em amor; um avivamento tão necessário neste período tão decadente, de aumento da iniquidade e esfriamento do amor cristão, que restaure e traga um novo fogo e sede de Deus no relacionamento e amor fraternal entre os irmãos e não somente uma convivência tolerada e controlada pelas nossas emoções. Não me preocupa alem do que deve, a volta do Senhor Jesus. Se estamos em comunhão com Deus e com os irmãos, então o Senhor naturalmente  revelará os seus segredos aqueles a quem ama e deu todas as coisas em seu filho. É lógico que anseio como todos os filhos de Deus e toda a criação a volta de Jesus, mas não posso sair da minha meta, que é crescer em Cristo e conhecê-lo cada dia mais. Buscar a santificação importa a todos nós, e a volta de Jesus será somente alegria, descanso, paz, segurança, mesmo que tenhamos que passar pela morte. Nosso alvo é ganhar mais de Cristo e ser conformado a Ele, e não ser um profundo estudioso da volta de Cristo. De teorias e conhecimento já estou farto. O Senhor tem me falado palavras de restauração de um viver simples, mas autentico da igreja irmão. A noiva precisa estar vestida e adornada. Precisamos estar sensíveis à voz do Espírito Santo e completamente esvaziados de nós mesmos, para percebermos o verdadeiro mover de Deus hoje para nós. Sem simplicidade, humildade, sinceridade, um coração sedento por ouvir e ganhar de Deus, não cresceremos na graça. Meu coração está cheio de encargo para passar para os irmãos, mas nem todos ainda estão preparados, trabalhados, transformados na fornalha e olaria de Deus, onde só podemos ser úteis ao Senhor, depois de conhecermos e vivenciarmos mais da vida de cruz e fim de nós mesmos. Então irmão, só a partir de um ponto que só a graça e mais ninguém te capacita a servir a Deus, ou “naquilo que já chegamos”, e fora desta graça e crescimento de vida, tudo é religião, esforço próprio, exaltação do eu, e colocar palha e vã sabedoria, sobre a pedra principal que é Cristo. E isto é sério demais, pois o fogo de Deus cobrará a obra de cada um. (1 Cor.3) Que cada um tenha o devido temor diante de tais palavras e de outras registradas na palavra de Deus.  Então somente na condição de membro do corpo e como servos de Cristo, poderemos viver a vida de graça sobre graça, que Cristo preparou de antemão para nós. Na comunhão do corpo. 

- Daniel Prado Carneiro. - 04.12.12