quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Soldado cria poema para registrar ocorrência de entrega de arma

"Como Policial sei que tudo que fazemos pode vir a dar uma repercussão muito grande, o trabalho abaixo é de um irmão de farda que pode ser punido por expressar seu talento em forma de poesia isto é o Brasil que vivemos e por saber disso e em homenagem a este talentoso Policial publico a poesia, mas deixo aqui de citar seu nome para não o comprometer ainda mais. Mas se os caros leitores gostaram divulguem e vamos todos dar nosso apoio a este Militar talentoso”. (Pesquisar, no G1 e redes sociais o poema original).

Em memória daquele velho da distante joazeiro
Que entregou tão bela arma
Sem querer glória ou dinheiro
Fiz esse relato em verso.
Ao doutor delegado peço
Que o receba, por derradeiro.
Em outra parte do poema, o soldado diz que o pai deve estar em paz com a consciência:
Recolhemos a tal arma
sem força ou resistência
O velho cumpriu o trato
Sem gastar uma insistência
O velho nunca mais vi
Deve estar por ai
Em paz com a consciência