terça-feira, 7 de maio de 2013

A LONGA JORNADA

Gênesis 24: 25 e 31

         “Disse-lhe mais: Temos palha e forragem bastante, e lugar para pousar.”
         “E disse: Entra, bendito do Senhor; por que estás aqui fora? pois eu já preparei a casa, e lugar para os camelos.”

Quando Abraão quis uma noiva, uma esposa para o seu filho Isaque, Abraão é a figura do Pai, Isaque é a figura do filho único, a esposa é a Igreja, ele chamou um dos seus servos que se chamava Eliezer e disse para ele ir buscar uma noiva para o seu filho. A recomendação fundamental foi esta: Eu quero que você traga uma esposa para o meu filho que seja da nossa família, que tenha o nosso sangue. A igreja que vai ser arrebatada, ela tem que ter a genética da eternidade. Foi por isso que Jesus trouxe o sangue dele, que é o Espírito Santo para colocar na vida da igreja e só entra lá na eternidade a noiva que tem a genética da eternidade, que é o Espírito Santo. Nada mais, nada menos do que a operação do Espírito Santo para a igreja dos nossos dias.
Primeiramente era o lugar para passar a noite. Nós estamos vivendo uma noite que é a noite profética dos tempos. É a noite onde tudo se fez trevas. É a mesma noite que antecedeu a saída de Israel do Egito. Enquanto havia trevas, o povo de Israel tinha luz. O mundo não está muito preocupado conosco porque ele está mais preocupado com as aflições que eles estão vivendo. As lutas estão envolta, e é por isso que o Senhor está nos permitindo, agora, caminhar na luz, na benção, batismo com o Espírito Santo, revelações, porque o caminho tem que estar bem claro para nós, o caminho da saída. O mundo não sabe porque ele está vivendo em trevas. Enquanto há confusão, a igreja está debaixo da benção, da luz gloriosa do Senhor Jesus. É o caminho, a revelação, o batismo com o Espírito Santo, é a igreja, é o corpo, é uma caminhada única, todos saindo, todos partindo na mesma direção, de mãos dadas para a terra prometida.
A pergunta era esta: “Porque estais fora?” Foi a pergunta de Labão. Eliezer chegou, estava lá, trouxe os camelos, trouxe os vasos, trouxe os adereços para a noiva que era Rebeca e agora era noite e a pergunta era esta: “Porque você está fora?” A casa está aberta, vem passar a noite conosco. Fica conosco, porque ele sabia que era a última noite. Não era justo que aquele homem que estava vindo de uma longa caminhada. Não é justo que o Espírito Santo nestes 2000 anos de operação, ele não tenha um lugar nesta hora para pousar, não tenha uma igreja, não tenha um povo que reconheça que está vivendo esta hora da noite. Não é justo que o Espírito Santo fique do lado de fora da minha vida, da sua vida, da vida da igreja nesta última hora da noite. Não é justo que nós sejamos donos da benção. Não é justo que nós sejamos donos de rebanhos, não é justo que nós sejamos donos de igrejas, dono de grupos, não é justo. O Espírito Santo está vindo de uma longa caminhada e ele tem trazido para nós tudo aquilo que nós precisamos, vasos de ouro, vasos de prata, nós temos visto a benção da salvação, a benção do poder, os camelos estão aí, estão chegando, e a nossa posição é como a de Rebeca, de joelhos no poço, é aquela que serve, aquela que está junto ao poço das águas vivas, é aquela que não nega a água aos viajantes, aos servos, àqueles que caminham nesta hora difícil, de longas distâncias. Esta é a noiva, esta é a Rebeca, e o apelo agora era aquele: “Entra, bendito do Senhor”, você não pode ficar do lado de fora nesta hora da noite. Nós não podemos admitir que o Espírito Santo não seja dono desta obra, nós não podemos admitir que nós sejamos os donos desta obra, nós não podemos admitir e ninguém pode admitir isso. Agora é a hora do Espírito Santo pernoitar porque o amanhecer do dia vem, o dia vai raiar, um novo dia vai raiar e a igreja vai embora, esta é a última oportunidade, é a hora da noite e às vezes nós deixamos o Espírito Santo do lado de fora por coisas pequenas e alguns queriam até protelar, dizendo para não ir embora agora não e a resposta de Rebeca foi não, a igreja não espera por retardatários, a igreja fiel não houve a voz da carne nesta hora, a igreja fiel está pronta porque o Espírito Santo está aprontando a sua igreja e ela vai embora porque ela não tem compromisso mais, mas ela está pronta, ela já recebeu os colares, os adereços. Agora, ela é a noiva amada, está pronta, está disposta e ela está composta para esta saída. Ao amanhecer do dia nós estaremos indo embora porque o noivo está a nossa espera. É o grito: “Aí vem o noivo, saí ao encontro”. Quem sai é Rebeca. Foi ela quem saiu, não foi ele não. Ele não virá, ele ficará nas nuvens ao encontro da igreja que sairá ao seu encontro.
O apelo era este: “Entra, bendito do Senhor”. Era a última noite, era a experiência daquele que tinha trazido tantas coisas para aquela casa, tantos benefícios e eles viram estas riquezas. A obra nesta hora tem muitas riquezas tão grandes para mostrar. Ela não tem riqueza das conversas, das brigas, dos desentendimentos, ela não tem isso para oferecer. Ela não tem líderes para oferecer. Ela tem aquilo que o Senhor está dando nesta hora porque a beleza dela é a postura dela, é a ética, é a forma dela agir, dela conversar, dela falar, dela se comportar, dela de se vestir, como foi o caso de Rebeca. Era noite, era a última noite e o apelo era: “Entra, bendito do Senhor. Porque estás do lado de fora?” Esta é a pergunta e nós não podemos como obra admitir em hipótese nenhuma que o Espírito Santo não esteja dirigindo esta obra nesta hora da noite. Não há mais tempo para deixar de fora aquele que tem trazido todas as riquezas da eternidade e principalmente a benção da Salvação.
A igreja vai partir, Rebeca vai partir. “Eu vou-me embora” era a palavra dela. Ela viu, ela sentiu tudo, ela sentiu o amor do noivo que estava distante e mandou para ela tudo aquilo, os adereços. Ela estava pronta para partir, o dia vai amanhecer, e a nossa mensagem nesta hora é essa: “Entra, bendito do Senhor. Passe a noite, há lugar aqui para você e para tudo aquilo que você trouxe, para aqueles que vieram trazendo as riquezas, os anjos.” Essa grande operação de poder que o Senhor está operando nesta hora.
Meus irmãos, que coisa extraordinária foi o compromisso assumido pelo Espírito Santo quando colocou a mão sobre a coxa de Abraão: “Eu não me alimentarei, eu não comerei enquanto não ver o resultado desta obra.” Meus irmãos, nós não podemos deixar o Espírito Santo do lado de fora nesta hora porque ele cumprirá a sua tarefa. Ele não veio para ser servido, ele veio para servir na sua humildade esperando que Rebeca se apresentasse, aquela que estivesse junto ao poço e se ajoelhar para dar água, essa sou a quem eu tenho escolhido, esta é a igreja. Nós não podemos deixa-lo de fora. Ele jurou que não vai se alimentar enquanto ele não levar a igreja, enquanto ele não fizer a vontade do Pai.
Meus irmãos, nós não podemos parar na nossa caminhada. Uns irão antes, outros vão aguardar o dia, por certo, mas uma coisa nós temos que dizer para o nosso povo: não há mais tempo a perder, e a mensagem é esta: “Entra, bendito do Senhor.”