sexta-feira, 4 de maio de 2012

Servos de Cristo

Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para ser apóstolo, separado para o evangelho de Deus.” – Rm 1:1

Esses dias me mandaram um texto sobre a fé cristã. Mas o que mais me chamou a atenção não foi o texto, mas o final dele, onde o autor acaba o texto louvando a Deus em latim. Depois vem as seguintes palavras: Seu Nome, Teólogo, Professor, Evangelista, Pastor, e por último, Servo do Deus Altíssimo.  Quem sabe um dia ele chegue a ser um apóstolo, que hoje é a maior honraria e ambição de muitos líderes cristãos?

Tenho lido nestes dias, repetidamente o primeiro capítulo da carta de Paulo aos Romanos. Não tenho conseguido ir para o capítulo 2, devido às grandes revelações nos deixada pelo “apóstolo dos gentios”. Precisamos ir fundo nestas minas profundas e extrair, digerir pelo Espírito, tamanhas verdades e riquezas para nosso crescimento e edificação do corpo.

Em meio a estas riquezas, vemos no primeiro versículo de sua carta, primeiramente a humildade, vocação, chamado, obediência e amor de Paulo por Deus e pelos povos perdidos sem Deus, onde ele começa sua carta, denominando-se primeiro “servo de Jesus Cristo”. Depois ele fala que foi chamado para ser apóstolo, que para ele, não era um cargo tão importante assim, pois não buscou o apostolado, nem lhe foi imposto por homens, mas chamado diretamente por Deus. Por último, ele fala que foi separado para o evangelho, pois não foi como os demais apóstolos, que, apesar de convertidos, ainda estavam tão presos às suas tradições. Por isso Deus levantou “o maior dos pecadores”, para corajosa e destemidamente, levar sua palavra a quem quer e aonde fosse, não fazendo caso de sua própria vida. Seu caminho não foi muito plano e confortável. Ser digno desta honra, foi para Paulo sua maior paixão e entrega absoluta de sua vida para Deus, deixando tudo para trás, tendo como o único objetivo, pregar a Cristo e seu precioso evangelho, ate aonde sua saúde, sua vida e fé pudesse ir. As consequências não precisamos mencionar. Basta lermos o novo testamento. Mais uma vez na história, vemos Deus exaltando os fracos, os sofredores, os perseguidos, os mais indignos e pecadores. Esse é o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo. Ora, vede, irmãos, a vossa vocação, que não são muitos os sábios segundo a carne, nem muitos os poderosos. nem muitos os nobres que são chamados. Pelo contrário, Deus escolheu as coisas loucas do mundo para confundir os sábios; e Deus escolheu as coisas fracas do mundo para confundir as fortes;  e Deus escolheu as coisas ignóbeis do mundo, e as desprezadas, e as que não são, para reduzir a nada as que são; para que nenhum mortal se glorie na presença de Deus.”- I Co 1:26-29

Segue abaixo alguns detalhes do currículum e do perfil do “verdadeiro apostolo”, que mudou o mundo todo a sua volta:

São ministros de Cristo? falo como fora de mim, eu ainda mais; em trabalhos muito mais; em prisões muito mais; em açoites sem medida; em perigo de morte muitas vezes; dos judeus cinco vezes recebi quarenta açoites menos um. Três vezes fui açoitado com varas, uma vez fui apedrejado, três vezes sofri naufrágio, uma noite e um dia passei no abismo;  em viagens muitas vezes, em perigos de rios, em perigos de salteadores, em perigos dos da minha raça, em perigos dos gentios, em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar, em perigos entre falsos irmãos;  em trabalhos e fadiga, em vigílias muitas vezes, em fome e sede, em jejuns muitas vezes, em frio e nudez.  Além dessas coisas exteriores, há o que diariamente pesa sobre mim, o cuidado de todas as igrejas. Quem enfraquece, que eu também não enfraqueça? Quem se escandaliza, que eu me não abrase?  Se é preciso gloriar-me, gloriar-me-ei no que diz respeito à minha fraqueza.  O Deus e Pai do Senhor Jesus, que é eternamente bendito, sabe que não minto.” – II Co.11:23
Sim, na verdade, tenho também como perda todas as coisas pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como refugo, para que possa ganhar a Cristo.” Fl. 3:8

Na nossa busca ao Senhor, precisamos que ele nos revele claramente o que ele quer de cada um de nós, na medida da fé e dons que nos foram concedidos? “Nós, porém, não nos gloriaremos além da medida, mas conforme o padrão da medida que Deus nos designou para chegarmos mesmo até vós; porque não nos estendemos além do que convém, como se não chegássemos a vós, pois já chegamos também até vós no evangelho de Cristo, não nos gloriando além da medida em trabalhos alheios; antes tendo esperança de que, à proporção que cresce a vossa fé, seremos nós cada vez mais engrandecidos entre vós, conforme a nossa medida,  para anunciar o evangelho nos lugares que estão além de vós, e não em campo de outrem, para não nos gloriarmos no que estava já preparado. Aquele, porém, que se gloria, glorie-se no Senhor. Porque não é aprovado aquele que se recomenda a si mesmo, mas sim aquele a quem o Senhor recomenda.” – II Co 10:13-18. Devemos aprender a nos “regozijar no meio dos sofrimentos... ..., e cumprir na nossa carne o que resta das aflições de Cristo, por amor do seu corpo, que é a igreja” - Cl. 1:24; então poderemos como Paulo, viver plenamente, como “servos de Jesus Cristo”, para glória de Deus.

Daniel Prado Carneiro – 03.05.2012