segunda-feira, 25 de junho de 2012

CONSULTA À PALAVRA





 Jo. 7:17 – “Se alguém quiser fazer a vontade Dele pela mesma doutrina conhecerá se ela
vem de Deus”
A consulta à Palavra é um meio da graça revelando aos servos desta Obra para se conhecer
a vontade de Deus. É uma das maneiras, hoje, de se consultar ao Senhor, e tem sido usada por todo o povo da Obra como prática habitual no seu dia a dia. Temos aprendido a consultar ao Senhor todas as coisas.
Uma das características desta Obra do Espírito, para a qual fomos chamados é a obediência à vontade do Senhor.
O Senhor escolhe para a sua Obra servos obedientes, dispostos a fazer toda a sua vontade (OBRA DE DAVI), rejeitando aqueles que o querem fazer pela metade (OBRA DE SAUL).
Fazer a vontade do Senhor pela metade, equivale a desobedecer: “MALDITO AQUELE QUE FIZER A OBRA DO SENHOR RELAXADAMENTE”. Je. 48:10
Há muitas coisas que não precisam ser consultadas ao Senhor porque já conhecemos a sua vontade de alguma maneira. Mas há muitas oportunidades em que temos dúvidas a seu respeito.
Aqueles que tem sido e procurado ser fiéis ao Senhor, tem sentido a necessidade, constante, no seu dia a dia, de conhecer a vontade do Senhor. E o próprio Espírito tem se encarregado de nos mostrar, sempre, a necessidade de consultarmos ao Senhor: VOCE JÁ ME CONSULTOU ACERCA DISSO? Sempre que esta pergunta surgir em nosso coração devemos faze-la.
Não se pode negar tal necessidade embora alguns rebeldes, que só sabem andar na carne, e não querem outra coisa, queiram faze-lo.
Temos a mente de Cristo, dizem eles, como pretexto para sua rebeldia. Mas se esquecem que habitamos um corpo carnal sujeito ao pecado.
Esquecem-se da recomendação da Palavra para que andemos em Espírito sob pena de cumprirmos as concupiscências carnais (Gl. 5:16).
Ter a mente de Cristo é uma coisa, andar em Espírito é outra. Só temos a mente de Cristo quando o Espírito Santo domina a nossa alma (santificação).
O profeta Isaías no cap. 29:15 diz: “AI DOS QUE QUEREM ESCONDER
PROFUNDAMENTE O SEU PROPÓSITO DO SENHOR E FAZEM AS SUAS OBRAS AS ESCURAS”.
No cap. 30:1-2 ele diz: “AI DOS REBELDES, DIZ O SENHOR, QUE TOMARAM
CONSELHO, MAS NÃO DE MIM; QUE SE COBRIRAM COM UMA COBERTURA, MAS NÃO DO MEU ESPÍRITO, PARA APRESENTAREM PECADO A PECADO. QUE DESCEM AO EGITO SEM CONSULTAREM À MINHA BOCA...”
Em Pv. 14:12 encontramos: “HÁ CAMINHO QUE AO HOMEM PARECEM DIREITO, MAS O FINAL DELE SÃO OS CAMINHOS DA MORTE”.
O profeta Jeremias disse da parte do Senhor: “ENGANOSO É O CORAÇÃO DO
HOMEM, MAIS DO QUE TODAS AS COISAS, E PERVERSO; QUEM O
CONHECERÁ?” Je. 17:9.
Os textos acima mostram o perigo de se deixar levar pelo coração (mente, razão, etc...).
Nós não podemos viver e andar pelos nossos pensamentos humanos, sentimentos, razão,
lógica, porque o justo vive e anda por fé. A fé freqüentemente se choca com a nossa razão, lógica, etc...
No original da Palavra (grego) encontramos duas palavrinhas muito importantes para nossa compreensão do assunto:
- psique = alma
- pneuma = espírito
O espírito é eterno mas a alma não. A alma se extingue com a morte (Jesus “derramou a sua alma na morte: mas disse: Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito”).
A alma é a sede das nossas emoções, sentimentos, pensamentos, razão, etc... necessita
santificação, submetendo-se a vontade do Espírito. A santificação total engloba tudo: corpo, alma e espírito (I Ts. 5:23).
A alma pode se inclinar para a carne ou para o espírito porque é intermediária. Pode ser útil quando se inclina para o espírito (espírito fortalecido pelo Espírito Santo) mas é um
fracasso quando se inclina para a carne (espírito fraco = carne forte).
A santificação consiste em deixar o Espírito Santo dominar todo o nosso ser.
A alma (coração) nem sempre quer fazer a vontade do Senhor porque está, portanto, sujeita às inclinações da carne que, por sua vez, se opõe ao espírito e ao Espírito Santo. Estes dois estão de braços dados quando temos a salvação e estamos em santificação. Mas a santificação tem que ser total: corpo, alma e espírito; no sentido inverso, pois a operação do Espírito é de dentro para fora.
Davi era homem segundo o coração de Deus, mas cometeu um adultério e um homicídio.
Quando se deixou levar pelo seu coração mandou numerar o povo de Israel, o que foi
motivo de grande dano para toda a nação. II Sm. 24:15.
Depois de ter aprendido a lição ele pede: “SONDA-ME Ó DEUS E CONHECE O MEU CORAÇÃO; PROVA-ME E CONHECE OS MEUS PENSAMENTOS; E VÊ SE HÁ EM MIM ALGUM CAMINHO MAU E GUIA-ME PELO CAMINHO ETERNO”.

CONSULTA À PALAVRA
Jo. 7:17 – “Se alguém quiser fazer a vontade Dele pela mesma doutrina conhecerá se ela vem de Deus”
A consulta à Palavra é um meio da graça revelando aos servos para se conhecer a vontade de Deus. É uma das maneiras, hoje, de se consultar ao Senhor, e tem sido usada por todo o povo da Obra como prática habitual no seu dia a dia. Temos aprendido a consultar ao Senhor todas as coisas.
Uma das características desta Obra do Espírito, para a qual fomos chamados é a obediência à vontade do Senhor.
O Senhor escolhe para a sua Obra servos obedientes, dispostos a fazer toda a sua vontade (OBRA DE DAVI), rejeitando aqueles que o querem fazer pela metade (OBRA DE SAUL).
Fazer a vontade do Senhor pela metade, equivale a desobedecer: “MALDITO AQUELE QUE FIZER A OBRA DO SENHOR RELAXADAMENTE”. Je. 48:10
Há muitas coisas que não precisam ser consultadas ao Senhor porque já conhecemos a sua vontade de alguma maneira. Mas há muitas oportunidades em que temos dúvidas a seu respeito.
Aqueles que tem sido e procurado ser fiéis ao Senhor, tem sentido a necessidade, constante, no seu dia a dia, de conhecer a vontade do Senhor. E o próprio Espírito tem se encarregado de nos mostrar, sempre, a necessidade de consultarmos ao Senhor: VOCE JÁ ME CONSULTOU ACERCA DISSO? Sempre que esta pergunta surgir em nosso coração devemos faze-la.
Não se pode negar tal necessidade embora alguns rebeldes, que só sabem andar na carne, e não querem outra coisa, queiram faze-lo.
Temos a mente de Cristo, dizem eles, como pretexto para sua rebeldia. Mas se esquecem que habitamos um corpo carnal sujeito ao pecado.
Esquecem-se da recomendação da Palavra para que andemos em Espírito sob pena de
cumprirmos as concupiscências carnais (Gl. 5:16).
Ter a mente de Cristo é uma coisa, andar em Espírito é outra. Só temos a mente de Cristo quando o Espírito Santo domina a nossa alma (santificação).
O profeta Isaías no cap. 29:15 diz: “AI DOS QUE QUEREM ESCONDER
PROFUNDAMENTE O SEU PROPÓSITO DO SENHOR E FAZEM AS SUAS OBRAS AS ESCURAS”.
No cap. 30:1-2 ele diz: “AI DOS REBELDES, DIZ O SENHOR, QUE TOMARAM
CONSELHO, MAS NÃO DE MIM; QUE SE COBRIRAM COM UMA COBERTURA, MAS NÃO DO MEU ESPÍRITO, PARA APRESENTAREM PECADO A PECADO. QUE DESCEM AO EGITO SEM CONSULTAREM À MINHA BOCA...”
Em Pv. 14:12 encontramos: “HÁ CAMINHO QUE AO HOMEM PARECEM DIREITO, MAS O FINAL DELE SÃO OS CAMINHOS DA MORTE”.
O profeta Jeremias disse da parte do Senhor: “ENGANOSO É O CORAÇÃO DO
HOMEM, MAIS DO QUE TODAS AS COISAS, E PERVERSO; QUEM O CONHECERÁ?” Je. 17:9.
Os textos acima mostram o perigo de se deixar levar pelo coração (mente, razão, etc...).
Nós não podemos viver e andar pelos nossos pensamentos humanos, sentimentos, razão,
lógica, porque o justo vive e anda por fé. A fé freqüentemente se choca com a nossa razão, lógica, etc...
No original da Palavra (grego) encontramos duas palavrinhas muito importantes para nossa compreensão do assunto:
- psique = alma
- pneuma = espírito
O espírito é eterno mas a alma não. A alma se extingue com a morte (Jesus “derramou a sua alma na morte: mas disse: Pai, em tuas mãos entrego o meu espírito”).
A alma é a sede das nossas emoções, sentimentos, pensamentos, razão, etc... necessita
santificação, submetendo-se a vontade do Espírito. A santificação total engloba tudo: corpo, alma e espírito (I Ts. 5:23).
A alma pode se inclinar para a carne ou para o espírito porque é intermediária. Pode ser útil quando se inclina para o espírito (espírito fortalecido pelo Espírito Santo) mas é um
fracasso quando se inclina para a carne (espírito fraco = carne forte).
A santificação consiste em deixar o Espírito Santo dominar todo o nosso ser.
A alma (coração) nem sempre quer fazer a vontade do Senhor porque está, portanto, sujeita às inclinações da carne que, por sua vez, se opõe ao espírito e ao Espírito Santo. Estes dois estão de braços dados quando temos a salvação e estamos em santificação. Mas a santificação tem que ser total: corpo, alma e espírito; no sentido inverso, pois a operação do Espírito é de dentro para fora.
Davi era homem segundo o coração de Deus, mas cometeu um adultério e um homicídio.
Quando se deixou levar pelo seu coração mandou numerar o povo de Israel, o que foi
motivo de grande dano para toda a nação. II Sm. 24:15.
Vemos assim a importância de consultarmos todas as coisas ao Senhor, sem riscos de nos deixarmos enganar pela nossa alma (coração) que é traiçoeira.
Josué não consultou ao Senhor e fez aliança com os gibeonitas, o que foi causa de grande prejuízo para a nação com relação ao propósito de Deus de livra-los da contaminação do mundo. Js. 9:14
No livro aos Hebreus encontramos uma revelação importante, aliás três: (Hb. 4:12).
1 – A PALAVRA DE DEUS É VIVA E EFICAZ
2 – APTA PARA DIVIDIR ALMA E ESPÍRITO
3 – APTA PARA DISCERNIR OS PENSAMENTOS E INTENÇÕES DO CORAÇÃO
Há muitos crentes sinceros que já reconhecendo a necessidade de conhecer a vontade de
Deus, tem procurado busca-lo (consulta-lo) de alguma maneira: oram, jejuam, pedem um sinal ou um sonho, vão ao profeta, etc..., mas não tem a experiência da consulta à Palavra como Palavra viva.
A Palavra de Deus é um mistério. Não é letra morta, é viva. A consulta a Deus pela Palavra envolve o mesmo mistério. Deus nos fala coisas totalmente diferente no mesmo versículo.
Quando abrimos a Palavra de Deus em Espírito sentimos que é a boca de Deus falando ao nosso coração.
PORQUE ASSIM COMO DESDE A CHUVA E A NEVE DOS CÉUS E PARA LÁ NÃO TORNA MAS REGA A TERRA E A FAZ PRODUZIR E BROTAR E DAR SEMENTE AO SEMEADOR E PÃO AO QUE COME, ASSIM SERÁ A PALAVRA QUE SAIR DA MINHA BOCA; ELA NÃO TORNARÁ PARA MIM VAZIA? ANTES PROSPERARÁ NAQUILO PARA QUE A ENVIEI, PORQUE COM ALEGRIA SAIREIS E EM PAZ SEREIS GUIADOS...” Is. 55:8
Há os que, por falda de experiência, ou da revelação, tem dúvidas acerca de tal prática. As escamas dos olhos precisam cair.
SE ALGUÉM QUISER FAZER A VONTADE DELE, PELA MESMA DOUTRINA CONHECERÁ SE ELA PROCEDE DE DEUS”.
A consulta ao Senhor através da Palavra tem sido uma fonte inesgotável de bênçãos para todo o povo da Obra (materiais e, sobretudo, espirituais).
No passado ela era feita de várias maneiras:
1 – DESCONHECIDA: Gn. 25:22-23
2 – DIRETAMENTE: Ex. 3:13; Nm. 12:6-8
3 – ATRAVÉS DE SINAIS: Jz. 6:36-40; Gn. 24:14
4 – ATRAVÉS DO PROFETA: II Cr. 18:4; II Rs. 22:14; I Rs. 14:5
5 – ATRAVÉS DO SACERDOTE (Urim e Tumin): Nm. 27:21
6 – LANÇANDO SORTES: Js. 18:8-10; Jn 1:7

Hoje a consulta ao Senhor pode ser feita também de várias maneiras:
1 – ATRAVÉS DE SINAIS
2 – LANÇANDO SORTES: At. 1:26 (Explicar este item)
3 – ATRAVÉS DOS DONS ESPIRITUAIS: Ciência, Interpretação, profecia
4 – ATRAVÉS DA PALAVRA VIVA: Consulta à Palavra
Sempre foi o desejo do Senhor orientar, dirigir e reinar sobre o seu povo, como também sempre foi desejo do Senhor ser consultado pelo seus.
Percebemos isto claramente quando vemos o próprio Deus instituindo o Urim e o Tumin como meio de consulta, oficializando, assim a consulta como prática normal para o povo.
A consulta à Palavra é um meio prático e acessível a todo o povo do Senhor. Através dela podemos ter, obedecidos certos requisitos, acesso a Deus para consulta-lo.
Seria difícil, senão impossível, consultarmos a Deus todas as nossas necessidades através dos dons espirituais. Certamente cairíamos no mesmo problema de Israel no passado querendo consultar a Deus através de Moisés (Ex. 18:16).

Requisitos para a consulta à Palavra
1. Palavra inspirada nas mãos (Sagrado Canon) – Evitar que a Bíblia esteja marcada
2. Reverência: de joelhos, em pé ou mesmo assentados mas na presença de um Deus Santo
3. Comunhão: (Clamor pelo sangue) – com Deus e com os irmãos
4. Fé: De que Deus fala e vai falar pela Palavra (Hb. 11:6)
5. Disposição para obedecer: se não há não devemos consulta-la (Ez. 14:3)
6. Oração clara e objetiva: II Sm. 2:1
7. Discernindo o texto: tanto melhor quanto maior o crescimento espiritual e o
conhecimento da Palavra. Mas é maravilhoso sabermos que o Senhor tem falado até mesmo aos novos convertidos.
A consulta à Palavra é uma benção para quem crê. Quem não crê não deve pratica-la (Rm.14:23).
É uma benção particular para os servos desta Obra para qual fomos chamados, mas é bom lembrar, que não somos pioneiros no uso desta benção.
Não é para ser praticada por aqueles que andam na carne e estão vivendo no pecado, ainda que, a muitos, o Senhor já tenha falado pela sua misericórdia. (Jo. 28:7)

Motivos pelos quais o Senhor não responde
1. Pecado: Is. 59:2; I Sm. 14:37-38;Ez. 20:31; I Pe. 3:7;
2. Ansiedade: Is. 2:16; Sl. 40
3. Falta de Oração: Je. 29:13; Je. 33:3
4. Falta de comunhão: Hb. 10:22 e I Jo. 1:7
5. Incredulidade (dúvida): Tg. 1:7; Hb. 11:6
6. Idolatria do coração (Falta de disposição para obedecer ao Senhor): Ez. 14:13
7. Porque o Senhor deseja falar de outra maneira: At. 16:7
8. Rejeição: I Sm. 28:6

Uso da consulta à Palavra na Obra
1. Esclarecimento de dúvidas
2. Direção para viagens
3. Orientação para negócios
4. Orientação para namoro e casamento
5. Exame (julgamento) dos dons espirituais
Através da consulta à Palavra o Senhor ainda nos instrui, corrige, esclarece, dá detalhes. Temos muito que glorificar ao Senhor pela revelação desta benção no nosso meio, que tem nos trazido segurança na caminhada, livrando-nos das influências da carne, do mundo e até do maligno, que fatalmente nos levariam ao erro como já tem acontecido a muitos outros.