sábado, 6 de outubro de 2012

NÃO HÁ OUTRO NOME...


E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos. Atos 4: 12
 
                Lembremos o que aconteceu no jardim do Getsêmani, momentos antes do Senhor Jesus ser traído. Naquela noite Ele estava profundamente angustiado, pois sabia de tudo que teria de suportar naquela madrugada e naquele dia. Jesus sabia que sua hora era chegada, sabia que dali a poucas horas estaria pendurado na cruz, sofrendo a mais horrenda dor. Foi por isso que Ele chamou Pedro, Tiago e João, para que o ajudassem em oração e compartilhassem da sua aflição. Mas aqueles discípulos não suportaram orar por muito tempo, e adormeceram de tristeza e cansaço. O Senhor, então, afastou-se um pouco dali, e começou a orar sozinho, e na sua oração, Jesus pediu ao Pai que o livrasse do cálice que Lhe estava destinado. Ele fez esta oração e este pedido por três vezes seguidas...
                À primeira vista, a impressão que temos é que Jesus queria fugir da crucificação, abandonando assim, o Projeto de Deus para a salvação da humanidade. Se realmente era isso que Ele pretendia, e se o Pai o tivesse atendido, então a humanidade estaria entregue ao pecado e fadada à condenação eterna. Será que Jesus, ao pedir ao Pai por três vezes, que passasse dele o cálice do sofrimento e da cruz, estaria tentando abandonar as profecias a seu respeito, e a desfazer tudo que Ele mesmo fez e falou?
                Não. O Senhor Jesus não estava fugindo do Plano de Deus, nem tentando abandonar o homem perdido e sem esperança de salvação. O que Jesus queria quando orou por três vezes pedindo ao Pai que o livrasse da cruz, era dar a Ele a oportunidade de mostrar a todo o mundo, outro meio de salvar a humanidade a não ser pela sua morte na cruz, caso este meio existisse. Ele estava dando a Deus a liberdade de mostrar ao homem outras formas de livrá-lo da perdição, ou outras saídas para o problema da morte eterna. Se estes meios ou estas saídas existissem, certamente o Pai teria atendido o seu Filho Amado, quando pediu em sua aflição, que o livrasse da cruz. Qual o pai não era capaz de tudo para livrar seu filho da morte, ainda mais sendo ele, o seu único filho?
                O Senhor Jesus orou a mesma oração por três vezes, mas não houve resposta da parte do Pai. Isso queria dizer que não existia outra forma ou meio de resgatar o homem, a não ser pelo derramamento do sangue do seu Filho. Jesus teria que morrer mesmo, e depois de orar, Ele se preparou para ser preso e deixar que o Projeto de Deus se cumprisse na sua vida. Quando os soldados o prenderam, Pedro puxou sua espadas para defendê-lo, mas Ele disse: “Mete a espada na bainha; não beberei, porventura, o cálice que o Pai me deu?”.
                Diante de tudo isso, é de se estranhar porque muitas pessoas ainda insistem em tentar chegar a Deus através de outros caminhos, tais como religiões, justiça própria (boas obras), reencarnação, guarda de dias, ídolos, abstenção de alimentos e coisas semelhantes a estas. É lamentável o fato de muitas pessoas desprezarem o meio estabelecido por Deus para se alcançar a salvação e a vida eterna, substituindo o sacrifício de Jesus por coisas criadas por elas mesmas ou pelo adversário. Que decepção terão, quando descobrirem a loucura que fizeram, por não preferirem o caminho do reconhecimento da própria culpa e do arrependimento, para perdão e salvação de suas vidas.
                O que tem impedido muitos de aceitarem a vontade de Deus, é que muitos não estão dispostos a abrir mão do seu “ego”, de sua natureza, de seus conceitos religiosos, de sua posição social e econômica, de sua concepção de vida, de sua vontade e paixões, etc. O homem precisa olhar para Jesus, para o seu sacrifício, para o seu amor, para sua graça e sua misericórdia, para sua ressurreição e para a promessa que fez que voltará em breve, para buscar todo aquele que creu.
         
                Não adianta bater em outras portas, pois somente uma pode se abrir, para conduzir aquele que crê à vida eterna, pois não existe outro nome, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos. Somente o nome de Jesus, o nosso Senhor e Salvador. Só Ele deu a vida por nós, ninguém mais.   
            
http://bibliaapalavradedeus.blogspot.com.br/