quinta-feira, 11 de outubro de 2012

PENSANDO NO AMOR DO SENHOR




Andar no Espírito é algo natural, espontâneo. É ligar o piloto automático, não lutar para vencer a alma. O papel da bala vai para o bolso. Ver quando o inimigo se levanta e se esconder na sombra da grande Rocha. Os trajes de vermelho carmesim, me livram de todo mal. Não tenho prazer em conversa fiada. Nunca estou sozinho. Perdeu-se o sentido do meu prazer, diante da tua
alegria. Os cânticos me levam sempre pra ti. Amo a tua palavra e poder estar contigo em doce comunhão. Me pego sorrindo, com os olhos brilhando, em paz, perfeita paz, diante das incertezas que não dizem nada mais para mim. Dou risada dos problemas e eles diminuíram bastante diante de ti. Me pego cantando, louvando seu nome. Qualquer vento do Espírito me tira do chão e logo estou de novo lá em cima, no descanso, na liberdade que o mundo não conhece. Qualquer versículo aciona a tua voz, o agitar desta fonte viva, a jorrar vida e revelação. Não estou mais fora do rio, agora sou parte dele, sou rio, e livre para correr para onde a graça for, para a morte tragar e vidas alcançar. Mais e mais de Cristo e estou contente com tudo. Nada me falta. Tu és o meu tesouro. Me sinto livre, completamente e apaixonadamente livre, como antes, como no começo. Esta liberdade tem me feito muito bem. Que poder, que força tremenda que liberta-nos de toda ilusão. Dia a dia seu amor me cura e me chama mais para dentro do teu meigo coração. Alegria, alegria, alegria, que me faz descansar, desapegar, sossegar, entregar tudo, confiar de todo coração, esperar na graça, desacelerar para tudo que é vão, vento e prender-me somente em ti, meu amado, meu amigo, meu tudo, poderoso e fiel salvador. Te amo Senhor.
 
Daniel Prado Caneiro