sábado, 8 de dezembro de 2012

CANTARES DE SALOMÃO I

 
O livro de Cantares é uma descoberta para esta obra e é bom que se diga, que ele não é um livro conhecido fora da obra, com os detalhes, com a revelação que o Senhor tem dado à sua igreja e por quê? Porque é um livro essencialmente espiritual, de fortalecimento para a igreja, é um livro para fortalecer, doutrinariamente, a igreja, para que um povo fique entendendo como as coisas acontecem, o projeto de Deus, o processo de salvação e como Ele quer a igreja nos últimos dias. É quase uma descrição para o entendimento e até de cobrança da parte do Senhor para que a igreja não esteja inadvertida nestes instantes que estamos vivendo.
Lutero, em 1530, foi o reformador, isto é do conhecimento de todos. Ele traduziu e comentou todos os livros da Bíblia, menos o livro de Cantares, ele não penetrou nos mistérios de Cantares, todos os teólogos passaram pelo livro de Cantares, alguns deles,
moderníssimos acham que o livro não tem valor espiritual algum, dizem até que é um livro carnal. Falam assim porque não tem a revelação. Tem um autor, que foi preso lá na China, que escreveu alguma coisa a respeito do livro, mas com muito pouca profundidade, muito superficialmente porque ele não estava vivendo o momento que estamos vivendo, por isso ele não alcançou e mesmo que alcançasse, quilo se perderia, como de fato se perdeu. Ele escreveu um livro interessante, mas com poucos detalhes, sem profundidade, sem aplicação prática, acho que ele não teve ninguém que pudesse avaliar o livro ou dar continuidade. Este não é o caso da obra que entendeu o livro e que dele está tirando, cada vez mais, revelação, mais profundidade. Todos aqueles que ouvem a respeito deste livro ficam extasiados, porque é um livro que tem uma composição de mistérios maravilhosos da parte do Senhor. Quem escreve o livro é Salomão. Na tipologia bíblica, Salomão é símbolo do Espírito Santo, assim como Davi é símbolo de Jesus.
Muitas pessoas falam de tipologia, de nomes, temos que entender as coisas como elas são. Os homens que foram usados pelo Senhor, como por exemplo: Abel, Jacó, Davi e outros, somados, resultam na figura do Senhor Jesus, que é o homem perfeito, é o homem completo, e de igual modo o é a sua igreja.
Mas e aqueles homens, eles falharam? Sim, falharam porque não existe homem que não falha, porém a igreja, o corpo não pode falhar, mesmo que, isoladamente, cada um dos membros falha, porque a igreja é o corpo de Cristo, portanto, tem tudo para acertar. Os homens usados pelo Senhor são partes, são componentes desta tipologia bíblica, com o Espírito Santo?
1º) Ele é sábio.
- Salomão pede e Deus dá-lhe sabedoria, o primeiro dom espiritual. Ele pediu sabedoria para edificar o Templo e por quê? Porque o Templo tinha que ser construído segundo as medidas, as normas, as determinações que o Senhor já havia mostrado, por revelação, e ele não podia falhar naquilo, sair da orientação, portanto, ele não podia falhar naquilo, sair da orientação, portanto, ele não podia fazer aquela construção sem a sabedoria de Deus.
2º) Ele não perdoa
- Não admite falhas. Vimos, na tipologia bíblica, que Davi é tipo do Senhor Jesus porque Davi é tolerante, vence os seus inimigos, estabelece o trono, a capital, identifica o povo de Israel, como nação, com a sua pátria, com o seu patrimônio, com a vida em Jerusalém. Davi reflete a figura do Senhor Jesus porque ele perdoa os seus inimigos, perdoa o filho traidor, perdoa aqueles que o rodeiam, perdoa a Simei que o apedrejou, é o domínio do governo de Jesus, aquele que está sempre perdoando, amando mas que nem por isso deixa de ser um homem de guerra, o Senhor dos Exércitos, como o foi Davi.