sábado, 26 de janeiro de 2013

Quem é este,que vem de Edom?


Isaías 63: 1-6




Toda vinha possuía, um pouco fora dos seus termos, um tanque de mais ou menos dois metros por um metro e meio, chamado lagar, onde as uvas colhidas eram amassadas com os pés, para a produção do vinho que era coletado numa cuba ou vaso. Geralmente este trabalho era feito por uma equipe de amassadores.

  • O profeta Isaías teve, certo dia, a visão de alguém com os vestidos manchados de vermelho, vindo de Bozra, que é a capital de Edom. Ele pôde perceber a força com que aquele personagem marchava, e então perguntou: “Quem é este, que vem de Edom, com os vestidos tintos de Bozra? este, que é glorioso em sua vestidura, que marcha com a sua grande força?”. A resposta foi: “Eu, que falo em justiça, poderoso para salvar”.

Isaías estava tendo a visão profética do Senhor Jesus deixando este mundo (Edom), após ter realizado a Obra Redentora, satisfazendo assim toda a justiça de Deus contra o pecado. Jesus se apresenta com suas vestes ensangüentadas, mas cercado de glória e marchando revestido de poder e força.

§  Quando Isaías ouviu a resposta de sua primeira pergunta, tornou a perguntar (ao fazer isso, podemos notar que ele desconhecia a maneira como a salvação foi operada pelo Senhor Jesus na cruz):“Por que está vermelha a tua vestidura? E os teus vestidos como os daquele que pisa o lagar?” A resposta do Senhor a esta segunda pergunta foi: “Eu sozinho pisei no lagar, e dos povos ninguém houve comigo; e os pisei na minha ira, e os esmaguei no meu furor; e o seu sangue salpicou os meus vestidos, e manchei toda a minha vestidura”.

Na verdade o Senhor Jesus começou a sofrer ainda no Getsêmani, quando Ele chamou os seus discípulos para O ajudarem em oração e estes adormeceram, deixando o Senhor sozinho suplicando ao Pai que se possível passasse d’Ele aquele cálice de sofrimento e dor. Ali o Senhor começou a ser amassado, o seu sangue brotou dos seus poros como suor, manchando suas vestes. Naquela hora ninguém o ajudou, ninguém de qualquer nação desejou compartilhar com Ele a sua agonia, nem mesmo os que Lhe prometeram fidelidade até a morte. Ao ser preso foi totalmente abandonado por seus discípulos e enfrentou o julgamento e as humilhações do Sinédrio, de Pilatos e do povo sozinho. Foi condenado no lugar de todos os pecadores, assumindo suas culpas. Jesus foi conduzido ao Calvário e crucificado, sem que ninguém o ajudasse ou defendesse. Pisou o lagar sozinho, e fez do seu próprio corpo  as uvas, no lugar das nações (todos os povos). Foi esmagado pela ira de Deus contra os pecados de todos e o seu sangue foi derramado e salpicado, manchando suas vestes.

§  Aquele dia memorável  estava no coração de Deus. Era o Seu dia de vingança por causa dos pecados de toda a humanidade. Era o dia de se fazer justiça para a remissão de todos os que cressem na Obra Redentora do Seu Filho Jesus. Deus, na sua misericórdia poupou o homem, deixando Jesus sozinho na cruz, recebendo sua ira sobre si, para promover a nossa salvação. Ninguém o ajudou quando deu o brado: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”. Ele dependeu da força do seu braço e foi sustentado pelo seu furor contra a situação de perdição do homem. Jesus na verdade estava sozinho, quando todos os pecados da humanidade lhe foram imputados, para que Deus fizesse cair sobre Ele o peso da sua ira.


Em Jesus, Deus pisou os povos, esmagando-os e dando-lhes a bênção do Espírito Santo e do Poder do Sangue de Jesus, conduzindo as nações a admitir que são pó, nada mais do que isso.