sábado, 9 de fevereiro de 2013

O JUÍZO SOBRE A CARNE

 
I Jo 2: 15 - 17


A carne não está tão cara como dizem. Ela está sendo oferecida gratuitamente em cada esquina deste mundo. Ela está em exposição nas ruas, nas bancas de revistas, na televisão, no cinema, nas praias, etc.
                              Cada dia que se passa ela avança mais e mais, dominando todos os que fazem parte do seu reino mundano, até o dia em que o Senhor dará um basta e executará o seu juízo.
                              Cada coisa criada por Deus foi criada juntamente com o seu juízo. O verbo “BARÁ” (criar do nada para existir por um determinado período de tempo) expressa esta realidade. Tudo foi criado para durar até certo dia, quando então o Senhor fará tudo desaparecer com um grande estrondo (Ap 21:1)
                              A Bíblia nos diz que o Senhor Jesus julgará os vivos e os mortos, e que a igreja também participará deste juízo (I Co 6: 2, 3). Mas Deus tem um juízo especial para a carne, pois ela é a essência do mundo, o qual se opõe a Deus como seu inimigo.
                              A carne é o gigante que derrotou Saul (a religião). O urso  e o leão já foram derrotados por Davi (a Obra) pois eram irracionais e facilmente domináveis, mas Golias (a carne) não. Ele raciocina e conhece o momento da fraqueza. Davi precisou da revelação e do Poder de Senhor para vencê-lo.
                               Deus criou um juízo para todas as coisas; para a criação, para Israel, para os gentios, para a igreja, etc. Mas para a carne, Deus tem um juízo especial.

1- QUAL O JUÍZO DE DEUS PARA A CARNE ?  Ez 38: 18, 21 e 22.
   
    O Senhor fará se abater sobre toda a carne a peste, a espada e o sangue, bem como pedras de saraiva, fogo e enxofre (Ap 16:21).

2- QUANDO SERÁ ESTE JUÍZO SOBRE A CARNE ?Ez 39:11 * Zac 14:1- 3

     No final da Grande Tribulação (período de 7 anos - última semana de Daniel) quando muitas nações formando um exército de 200 milhões de soldados (Ap 9: 16) vier para invadir e destruir Israel e tomar Jerusalém. Esse exército virá pelo norte e se acampará no Vale de Jezreel, ou Vale do Armagedom  próximo do monte Ar-megido (Ap 16: 16), ou Vale de Josafá, onde o Senhor o enfrentará e destruirá.

3- COMO SE DARÁ O JUÍZO SOBRE A CARNE ? Ez 39:17-21 * Zac 14: 12,13

    Deus oferecerá um grande banquete de carne às aves do céu e aos animas do campo. Deus ferirá a todos daquele exército com uma peste que fará com que os soldados delirem e se lancem com suas espadas uns contra os outros, provocando sua destruição mútua. Também cairá do céu sobre os que escaparem uma saraiva de pedras, fogo e enxofre, que destruirão tanto os cavalos quanto os cavaleiros. Israel será invadido a cavalo, pois seus montes não permitem a passagem de tanques e blindados em grande quantidade. Também não será atascado com mísseis e outros tipos de armas de grande poder destrutivo, por causa de seus lugares sagrados para as três maiores religiões do mundo, e sim com armas convencionais. O sangue de todos os mortos alcançará os arreios dos cavalos e serão precisos sete meses para sepultar os mortos da batalha do Armagedom (Ez 39: 12). No juízo contra a carne Deus atingirá os três fundamentos do mundo:

I João 2:16
Zac 14: 12
Concupiscência dos olhos
apodrecerão nas órbitas
Concupiscência da carne
será consumida em pé
Soberba da vida
apodrecerá na boca *
                              
* A soberba da vida está na língua (Tg 3: 5).

CONCLUSÃO - Davi venceu Golias porque não confiou em si mesmo, mas se esvaziou e esperou no Senhor, que lhe concedeu a revelação necessária para derrotar Golias:

a)  Despiu-se das armas de Saul (método da religião);
b)  Cajado na mão (direção do Espírito);
c)  Cinco seixos no ribeiro colocados no alforge  (busca das revelações na fonte que é o Espírito, guardando-as no coração);
d)  Pedra arremessada pela funda (revelação que alcança longe, sem o contato corpo a corpo).

Essas são as armas necessárias para vencer a carne hoje em dia  também, além do clamor pelo sangue de Jesus, representado pela posição de joelhos para apanhar os cinco seixos  no ribeiro.