sexta-feira, 26 de abril de 2013

O Clamor do Deus Triúno

"Desde o dia em que vossos pais saíram da terra do Egito, até hoje, tenho-vos enviado insistentemente todos os meus servos, os profetas, dia após dia; contudo não me deram ouvidos, nem inclinaram os seus ouvidos, mas endureceram a sua cerviz. Fizeram pior do que seus pais." Jer. 7:25-26. "Quanto mais eu os chamava, tanto mais se afastavam de mim..." - Oseias 11:2

No início da vida pública de Jesus, vemos o Senhor numa festa tradicional dos judeus. Mas Ele espera o fim dela, para fazer o convite para viverem a verdadeira alegria de viver. Ele chama os pecadores lançando sobre estes um requisito: “Se alguém tem sede”. “E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba.” - João 7:37

Agora o próprio Cristo ressurreto dentre os mortos, não mais como o cordeiro de Deus, mas assentado soberano, em gloria e majestade nós céus, novamente faz o mesmo convite a todos, com a mesma condição: “E disse-me mais: Está cumprido. Eu sou o Alfa e o Omega, o princípio e o fim. A quem quer que tiver sede, de graça lhe darei da fonte da água da vida.” – Ap. 21:6

No mesmo livro que fecha a Bíblia, vemos agora notável, o Espírito e a igreja juntos, fazendo o mesmo convite a todos. Mas sempre com o mesma urgente necessidade "...E quem tem sede". Deus nunca irá laçar ou forçar ninguém a amá-lo, desde o Éden, até a consumação dos séculos. Agora a proclamação é feita dos céus a humanidade: “E quem tem sede, venha”. “E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida.” – Ap. 22:17

"E Jesus lhes disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede." - Jo. 6:35. "Disse-lhe a mulher: Senhor, dá-me dessa água, para que não mais tenha sede, e não venha aqui tirá-la." - Jo. 4:15. "Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos" - Mt. 5:6

Quem, dentre esta numerosa multidão de mortos-vivos, ainda no pouco tempo que resta, irá aceitar tão maravilhoso convite de salvação eterna, para que vivam?
Como eu ouço, então digo, VEM.

-Daniel Prado Carneiro – 25.04.2013