domingo, 30 de novembro de 2014

O Prumo de Deus




Amós 7: 7,8  e Jeremias 4:19

A natureza humana é cheia de mistérios e complexidades. À medida que a pessoa cresce e enfrenta as circunstâncias da vida sua personalidade vai sendo influenciada e moldada. As experiências vividas, portanto, vão dar forma e definir as características individuais de cada pessoa.

Durante o reinado de Uzias, o povo de Israel experimentou dias de crescente prosperidade e paz. No entanto, com o enriquecimento veio o declínio moral e espiritual, acompanhados de uma terrível onda de injustiças que obscureceu a visão do povo e o fez perder a direção que Deus havia dado pelos seus profetas. Foi diante desta situação que Deus chamou Amós, que significa “carregar um peso” e lhes deu uma missão de apontar a corrupção existente no meio de Israel, advertindo-o do castigo iminente. Deus comparou Israel a uma parede fora de prumo, prestes a cair, mostrando o quanto ela estava torta através do prumo da sua PALAVRA.

A situação do mundo atualmente é semelhante à que Israel passou naquele tempo. A vida de muitos é pautada em falsos prumos que levam as pessoas às mais terríveis consequências. A Bíblia nos compara a casas, que são construídas com os tijolos das experiências diárias, os quais vão sendo sobrepostos ao longo da vida. Quando se levanta uma parede é necessário que se verifique se a mesma não está torta, e isso se faz, com a utilização de um instrumento muito simples, mas muito importante, o prumo.

O ser humano tem interiormente a necessidade de gozar de paz e de felicidade na sua alma. Por isso ele se utiliza da construção de paredes que lhe transmitam segurança e garantam a paz e a felicidade necessárias à sua satisfação interior. O homem natural usa o prumo da razão e da religião para construir as paredes que vão formar a casa da sua vida. Sua personalidade e sua identidade são o resultado desse trabalho de edificação, que muitas vezes geram angústias e prejuízos, por não ser feito conforme o prumo da Palavra de Deus. O prumo da razão e da religião transmite uma falsa impressão de retidão e produzem distorções que se acumulam e culminam, muitas vezes, com a ruína e a morte física e eterna.


As pessoas vivem sendo sacudidas por muitas tempestades que são produzidas pelas circunstâncias da vida, levando-as a construírem seus próprios sistemas defensivos. Se as paredes de suas casas não estiverem no prumo de acordo com a Palavra de Deus, as consequências poderão ser desastrosas e a maior delas é a falta de paz e a perda da vida Eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor. Logo, vamos construir a nossa casa no prumo em direção as bênçãos celestiais que são ETERNAS.